NEPerma certifica sua 19ª turma

04/07/2019 15:27

Concluída mais uma etapa de formação permacultores, que foram certificados pela UFSC. Alunos de diferentes cursos de graduação da universidade puderam compartilhar suas experiências e aprender com outros ao longo desse primeiro semestre de 2019.

Turma de 2019/1 – Arthur, Cláudia, João, Eloisa, Lucas, Sabrina, Anderson, Jade, Rafael, Adilson, Fernando, Cecília, Márcio, Alexandre, Janine, Mayara, Mariana, Patrícia, Felícia e Jaíne. Marina fugiu da foto.

A disciplina contou com a colaboração de 11 instrutores, incluindo professores, servidores técnicos, ex-alunos, agricultores e praticantes da permacultura. Essa dinâmica de ensino vem reforçando a linha de ensino aplicada pelo NEPerma/UFSC desce 2012, quando houve a oferta da primeira edição da disciplina.

Com essa turma o NEPerma já certificou mais de 270 pessoas para desenvolver ações, projetos e iniciativas utilizando a lógica e a filosofia de planejamento da permacultura.

O NEPerma prevê uma nova edição da disciplina para o segundo semestre de 2019. Atente para o período de matrículas e busque o código GCN7938 para vir também compartilhar do seu tempo conosco.

Depoimentos

 

Marina – estudante de geografia
Gostei muito da disciplina, que muda a forma de ver as coisas. Um olhar mais crítico sobre muitos aspectos que antes passavam “quase” que despercebidos. Permacultura pra mim é repensar minhas atitudes, em como elas afetam a natureza e as pessoas principalmente.

Adilson – estudante de ciências biológicas
Antes da graduação sequer tinha ouvido sobre permacultura. De início desconfiei, afinal, quantas são as utópicas ideias “revolucionárias” que não passam de “achismos” ou disfarces para interesses ocultos. Ainda assim, deixei de lado pré-conceitos e resolvi entender melhor do que se tratava. Fato é, essa simples palavra, que carrega em si um oceano de ideias, princípios e éticas, pode transformar a maneira como se enxerga o mundo. Nesse momento, quase ao final do curso posso afirmar, a permacultura é uma ciência que se presta a mudar a percepção das pessoas sobre tudo ao redor e, através de métodos de planejamento e baseando-se em princípios éticos, moldar os ambientes terrestres para a formação de assentamentos humanos sustentáveis.

Mariana – estudante de design

A permacultura é um desafio para repensar velhos valores e premissas, analisar o lugar em que se o ocupa no mundo e a forma como se vive nele. Acho interessante que ela seja às vezes uma ferramenta, às vezes um possível movimento social, às vezes uma forma de se viver.

Tags: Ensino de permaculturaPDCTurmas

Extensão visita a Escola Visconde de Taunay em Blumenau

14/06/2019 18:59

A escola é uma explosão de criatividade em todos os cantos.

“Olhei para a rua e vi um bolo de crianças. Era briga na certa. Ao aproximar me deparei com o inesperado, o grupo estava auxiliando uma jararaca a atravessar a rua”.

Passagens como essa passaram a ser parte do cotidiano da escola Visconde de Taunay com o desenvolver do projeto Escola sustentável, conta a professora Jeane Pitz Pukall, coordenadora da ação que acabou se transformando em sua pesquisa de mestrado.

Na última quinta, o projeto de extensão Permacultura na escola, desenvolvido pelo NEPerma em parceria com a Escola de Ensino Básico Gama Rosa de São Pedro de Alcântara, esteve em visita à Escola municipal Visconde Taunay, situada em Blumenau/SC. A proposta da iniciativa foi conhecer melhor o projeto Escola sustentável, desenvolvido desde 2011 com o intuito de ampliar a educação ambiental através de um modelo baseado nas éticas e princípios de planejamento da permacultura.

O projeto foi reconhecido e premiado com destaque nacional e internacional. Segundo Jeane, seu êxito está alicerçado no empoderamento dos educandos ao longo do processo de implantação, manejo e gestão das ações desenvolvidas no ambiente escolar com a participação intensa da comunidade local.

Equipe de professores visitantes com a professora Jeane.

De fato, a equipe de professores da Escola Gama Rosa que foi conhecer a experiência da Visconde de Taunay maravilhou-se ao entender como processos de ensino participativos podem contribuir para a formação plena dos educandos. Segundo Jeane “a permacultura permite ir muito além da educação ambiental. Com ela é possível formarmos cidadãos éticos e críticos através do empoderamento coletivo.” Afirma ainda “as crianças estão agora mais empáticas, altruístas, críticas e, com certeza, mais empoderadas.”

A equipe de professores da Escola Gama Rosa trabalhará agora a sensibilização dos demais colegas para seguir desenvolvendo o projeto “Permacultura na escola” em São Pedro de Alcântara/SC.

Tags: EcoformaçãoEnsino de permaculturaPermacultura na escola

NEPerma recebe reconhecimento pela Câmara de Vereadores de Florianópolis

07/06/2019 17:02

Marcelo Venturi recebendo o diploma.

No dia do Meio Ambiente, 5 de junho de 2019, o Núcleo de Estudos em Permacultura da UFSC, juntamente com outras 32 iniciativas, entidades e projetos da Grande Florianópolis, recebeu o Diploma de Reconhecimento da Câmara dos Vereadores de Florianópolis, pelas atividades de “valorização e colaboração na preservação dos recursos naturais”, por proposição do vereador permacultor Marquito – Marcos José de Abreu.

No evento as entidades agradeceram ao reconhecimento e algumas apresentaram suas histórias e manifestaram suas preocupações com as condições das condições e políticas ambientais atuais. Foi um ótimo momento de (re)encontro e trocas de contatos e possibilidades.

 

 

Fundamentos de ecologia é tema de encontro em São Pedro de Alcântara

01/05/2019 16:59

Professor Arno e os docentes da escola Gama Rosa.

O projeto Permacultura na Escola realizou nesta semana o terceiro encontro da formação básica em permacultura com os docentes da escola Gama Rosa em São Pedro de Alcântara – SC. O professor Arno Blankensteyn compartilhou conhecimentos sobre ecologia, um dos pilares da permacultura.

A formação básica em permacultura é uma das etapas previstas no projeto que se iniciou em janeiro e segue em curso para promover a educação ambiental nos ensinos fundamental e médio da Escola. Após a formação dos docentes, terão início as atividades de intervenção segundo o planejamento em permacultura, que será o tema de projeto final dessa primeira etapa. Nas etapas posteriores, agentes da comunidade poderão participar, buscando auxiliar nas ações de implantação e manejo das técnicas da permacultura.

Tags: ExtensãoPermacultura na escola

Introdução à permacultura 2019/1

27/02/2019 14:06

Zonas energéticas no planejamento.

Em 2019/1 vai acontecer mais uma edição da disciplina Introdução à permacultura, que possui o mesmo currículo e carga horária de um Curso de Planejamento Permacultural (Permaculture Design Course – PDC). No próximo semestre, o PDC contará com 11 instrutores entre permacultores professores, técnicos, praticantes e agricultores convidados.

Estudantes que não conseguiram vaga, mas efetuaram a matrícula no CAGR, deverão participar dos 2 primeiros encontros para tentar ocupar uma das 8 vagas adicionais que serão definidas ao final do segundo encontro (2ª semana). Para pessoas externas à UFSCo procedimento é o mesmo e, se sobrarem vagas, haverá sorteio para ingresso de participantes sem o vínculo institucional.

Os encontros acontecerão na sala 331 do CFH nas tardes das quartas.

Todo o conteúdo da disciplina estará disponível para livre acesso até agosto de 2019.

Gostou dessa iniciativa? Gostaria de ver mais permacultura em universidades? Assine nosso abaixo-assinado para criação de cursos de graduação em permacultura.

Permacultura na academia em discussão

14/12/2018 17:11

Arthur Nanni, apresentando resultados do NEPerma/UFSC. Foto: Paolo Martins.

O NEPerma esteve presente no 2º Seminário de Pesquisa em Permacultura, Agroecologia e Educação Ambiental, promovido pelo Instituto Permacultura Lab em parceria com o Grupo de Estudos em Educação Ambiental desde El Sur (GEASur). O evento ocorreu na Universidade Federal do Estado do Rio de Janeiro no início de dezembro.

Dentre outras importantes pautas de discussão sobre educação ambiental, o NEPerma apresentou os resultados de seus seis primeiros anos de estrada no ensino, pesquisa e extensão. Permacultura e academia foi o tema abordado pelo permacultor Arthur Nanni, que apresentou uma síntese sobre iniciativas da permacultura em instituições de ensino superior no mundo e no Brasil, com destaque para os resultados e produtos obtidos e produzidos pelo NEPerma/UFSC.

Nascida na academia na década de 70, a permacultura enquanto movimento, ganhou o mundo e atualmente está presente em mais de 150 países, basicamente estruturada em estações, fazendas e institutos que desenvolvem e promovem esse movimento raiz. Na última década, o amadurecimento dos processos de ensino e pesquisa, bem como a efetiva aplicação de suas técnicas, fez com que a permacultura ganhasse espaço no terreno acadêmico, onde então, passa a ser considerada uma ciência socioambiental de cunho holístico. Sua recente trajetória na academia vem trazendo avanços nos critérios de adoção de sua filosofia de entendimento de mundo, principalmente no que tange à educação ambiental e reorganização social.

A discussão da reinserção da permacultura na academia vem de longa data e envolve muitos pontos importantes de consideração. Dentre eles, a discussão sobre a institucionalização do movimento/ciência para além dos tradicionais institutos de promoção da permacultura, o que supostamente poderia enfraquecer seu caráter anárquico pautado na autogestão.

A equipe do NEPerma/UFSC vem trabalhando essas discussões e entende que o papel da academia no desenvolvimento da permacultura, passa por dar suporte técnico-científico, buscando melhorar métodos de ensino e instrumentos pedagógicos, bem como, validar cientificamente processos praticados. Assim, busca-se fortalecer, através de ações de pesquisa, extensão e ensino, tanto a ciência, quanto o movimento, seguindo os passos da agroecologia, que conta com inúmeros cursos de graduação e pós-graduação no Brasil. Dessa forma, a universidade atende seus objetivos de gerar conhecimento e levar à população, novas possibilidades de viver e conviver em sociedade e com o planeta.

O conteúdo da palestra está descrito no artigo Construindo a permacultura na academia brasileira, publicado recentemente.

Saiba mais sobre o Evento e o Instituto Permacultura lab

Tags: academiaEducação ambientalEnsino de permaculturaPermaculture teaching

NEPerma certifica sua 18ª turma de permacultores

05/12/2018 15:06

14ª turma certificada pelo NEPerma/UFSC

Concluída a etapa de formação de mais uma turma de permacultores, que foram certificados pela UFSC. Alunos de diversos cursos de graduação da universidade puderam compartilhar suas experiências e aprender com outros ao longo desse segundo semestre de 2018.

A disciplina contou com a colaboração de 13 instrutores, incluindo professores, servidores técnicos, ex-alunos, agricultores e praticantes da permacultura. Essa dinâmica de ensino vem reforçando a linha de ensino aplicada pelo NEPerma/UFSC desce 2012, quando houve a oferta da primeira edição da disciplina e cuja história está sendo contada no Livro Ensinando Permacultura, que logo deverá estar pronto.

Somadas a essas edições da disciplina, iniciativas de extensão como os cursos do projeto Terra Permanente, Permachico e o PDC para a academia, já certificaram mais de 250 pessoas para desenvolver ações, projetos e iniciativas utilizando a lógica e a filosofia de planejamento da permacultura.

O NEPerma prevê uma nova edição da disciplina para o primeiro semestre de 2019. Atente para o período de matrículas e busque o código GCN7938 para vir também compartilhar do seu tempo conosco.

Depoimentos

Pedro Menin – Design

A permacultura, pra mim, é uma filosofia de vida, um caminho a ser seguido. Aprendi nesse curso muito mais do que técnicas de plantio, construção ou tratamento de resíduos. Aprendi o que é ética, o que é respeitar a natureza e devolver a energia que recebemos da nossa Terra. Quando despertamos para essa realidade, fora da zona de conforto da rotina do sistema social, econômico e cultural em que vivemos, começamos a repensar melhor nossos atos, nossas aspirações e nossas reais necessidades. Gostei muito de vivenciar e aprender isso com esse grupo da permacultura. Conheci pessoas muito legais e vejo cada vez mais esperança para a espécie humana.

Josanne Pinheiro – Antropologia

Permacultura para mim, depois de fazer o PDC, é uma escolha de vida. É optar por essa escolha, embora não haja regras rígidas para ser Permacultor, é se colocar em defesa do planeta Terra. É entender que, como pessoas, temos a capacidade de utilizar as energias, construir espaços para moradia, produzir nosso próprio alimento, mas, acima de tudo, respeitar os movimentos do planeta. Não é se isolar do mundo e tornar o seu espaço de morada um santuário intocado. Ao contrário, permacultura é atuação, é encontrar soluções de inclusão das pessoas com a natureza, de uso consciente dos recursos.

Frederico Piovesana – Geografia

Considerando todo o conhecimento e experiências vividas neste semestre, assim como a bagagem e expectativas de vida que tenho, a permacultura vem como um caminho possível de ser seguido para uma maior autonomia baseada na interação harmônica entre as necessidades humanas e sociais com a natureza e seu potencial energético.Vejo a permacultura como uma troca pacífica e lenta, porém, essencial e permanente, entre um sistema de exploração em decadência para um sistema anárquico que coloca o ser humano como um grande mestre e guardião da vida no Planeta Terra.

Tags: Ensino de permaculturaPDCTurmas

Livro Ensinando Permacultura

17/09/2018 10:07

O Núcleo de Estudos em Permacultura da UFSC (NEPerma/UFSC) lançará o livro Ensinando Permacultura, que traz a experiência de 6 anos de atividades de ensino na  UFSC. O coletivo de servidores técnicos, professores e acadêmicos que participam dessa construção, entende que a publicação pode e deve ser utilizada como ferramenta para a formação básica em permacultura e, para tal, revela o nosso “jeitinho” de ensinar o Curso de Planejamento em Permacultura, o tradicional Permaculture Design Course (PDC), que é mundialmente reconhecido.

Esperamos com essa publicação, dar suporte a professores/as e instrutores/as que compreendem a importância da permacultura para a educação ambiental e desejam difundir, propagar e, assim, popularizar esse conhecimento. A proposta é entregar exemplares impressos a instituições públicas de ensino, como escolas municipais, estaduais ou federais, nos mais diferentes níveis – fundamental, médio, técnico, superior – que podem solicitar gratuitamente exemplares impressos por meio do formulário de solicitação.

Não sabe bem o que é permacultura? Veja aqui um vídeo curto e leia mais sobre essa ciência socioambiental.

 

Tags: Ensino de permaculturafinanciamento coletivoPDC

Bosque de CFH: uma sala de aula viva

14/09/2018 10:54

O Projeto de Recuperação e Educação Ambiental no Bosque do CFH realiza desde 2015 atividades que buscam contribuir para a recuperação ambiental e  para a construção de um espaço didático de ensino, voltado à reintegração das pessoas aos ecossistemas.

Através de aulas, minicursos, mutirões e atividades em uma metodologia vivencial e teórico-prática, foram recebidos acadêmicos de diferentes cursos da UFSC e UDESC, tais como, Psicologia, Educação no Campo, Geografia, Artes Visuais, Jornalismo, Agronomia, incluindo a eclética turma da disciplina “Introdução a Permacultura”, que puderam somar o exercício do olhar na perspectiva agroecológica e permacultural às suas formações curriculares.

O projeto, ao contribuir para a formação de identidade do território do Bosque, entende esse espaço como de Recuperação e Preservação Ambiental, onde o elemento humano está presente, buscando potencializar a aplicação de seus saberes e fazeres à um espaço menos urbanizado, vivo e de convívio comunitário.Assim, o bosque pode ser entendido como um laboratório a céu aberto na UFSC. Uma extensão dos tradicionais espaços fechados de aprendizagem,  voltado à Educação Ambiental onde conceitos como sucessão ecológica, desenvolvimento de solos, manejo de águas e cultivo de alimentos podem ser observados,  experimentados e por fim, compreendidos. O vídeo mostra um pouco da aplicação desses conceitos, da prática de trabalho do Projeto e como o bosque pode ser utilizado quanto objeto de estudo.

Quer participar? Acesse a página do projeto no Facebook ou envie um e-mail para . Convide-se para os mutirões que ocorrem todas as sextas-feiras às 9h ou apareça na sala do NEPerma, que fica no sexto andar do Bloco F do CFH. Dúvidas, sugestões e críticas são sempre bem-vindas!

Texto: Melina Gonçalves, Amanda Vita e Luiz Leal.

Revisão: Arthur Nanni

Projeto do Bosque é premiado em Brasília

30/08/2018 11:33

Em 23 de agosto ocorreu a premiação do Projeto de Recuperação do Bosque do CFH no evento 7° Prêmio da Agenda Ambiental de Administração Pública (A3P) “Melhores Práticas de Sustentabilidade”, promovido pelo Ministério do Meio Ambiente (MMA). Dentre mais de 70 projetos inscritos, o projeto da UFSC ficou selecionado entre 12 na categoria Uso e Manejo de Recursos Naturais.

Equipe do NEPerma e CGA na premiação.

O projeto de Recuperação do Bosque do CFH é uma iniciativa discente que existe desde 2014 e é coordenado pelo NEPerma em parceria com a Coordenadoria de Gestão Ambiental da UFSC (CGA). As ações de recuperação desenvolvidas buscam melhorias na estruturação e fertilidade dos solos,  incluindo desde o restabelecimento da cobertura vegetal, remoção de espécies vegetais exóticas (Eucalyptus e Casuarinas), plantio de sementes e mudas e de mata ciliar dos cursos d’água.

A premiação não apenas é uma forma de reconhecimento do empenho e das diretrizes adotadas no desenvolvimento do projeto, inclui também uma forma de reconhecimento da necessidade da quebra de antigos paradigmas, permitindo assim, uma abertura à novas pluralidades nos conceitos de recuperação e educação ambiental, sendo a permacultura e agroecologia amplamente utilizadas nesse processo.

O Prêmio A3P é uma iniciativa que busca reconhecer nacionalmente projetos que possam se tornar modelo de sustentabilidade e uso racional dos bens públicos e recursos naturais, impactando na qualidade de vida de quem faz mão destes serviços e gerando conscientização.

O Projeto segue suas atividades em constância com a lógica da permacultura, através da construção coletiva da recuperação ambiental do Bosque do CFH. Quer participar? Todas as sextas-feiras a partir das 9:00 ocorrem mutirões participativos no Bosque, é só chegar!

Leia mais no site do Ministério do Meio ambiente

Texto: Allisson Castro, Amanda Vita e Luiz Leal

Revisão: Arthur Nanni

Tags: PrêmioProjeto BosqueUFSC