Permacultura 2015/1

25/02/2015 00:38
Jorginho, Morgana e Isadora aprendendo sobre abelhas sem ferrão.

Jorginho, Morgana e Isadora aprendendo sobre abelhas sem ferrão.

Em 2015/1 irá rolar mais uma edição da disciplina Introdução à permacultura, que possui o mesmo currículo e carga horária de um Permaculture Design Course (PDC), reconhecido internacionalmente. Neste semestre serão disponibilizadas vagas adicionais para estudantes externos ao departamento de geociências.

Neste período de matrículas procure por GCN7938 – Introdução à permacultura e efetive sua matrícula, mesmo que o sistema acuse “sem vagas”. As aulas ocorrerão nas tardes das quartas-feiras e temos previstas 3 atividades de campo.

Um total de 8 vagas adicionais serão definidas ao final do segundo encontro (2ª semana). Assim, mesmo que o sistema de matrículas da UFSC tenha acusado sem vaga o seu pedido de matrícula, apareça nos dois primeiros encontros para acompanhar a definição do preenchimento das vagas.

AS AULAS ACONTECERÃO NA SALA 313 DO CFH e iniciam no dia 11/3 às 13:30H

Aos interessados externos à UFSC – Temos uma extensa lista de alunos da UFSC suplentes. Assim, a possibilidade de sobrar alguma dessas 8 vagas é muito remota.

NEPerma conclui a segunda etapa de lavantamento de informações de campo pelo projeto Terra Permanente

19/12/2014 11:28
Leila e Leticia em entrevista com Natifio Gardelin.

Leila e Leticia em entrevista com Natifio Gardelin.

No mês de dezembro de 2014, o NEPerma esteve em campo para continuar os levantamentos de informações da fase de pesquisa do projeto Terra Permanente, iniciada em março de 2014 e que envolve produtores rurais de quatro municípios da grande Florianópolis. A equipe participativa e divertida rodou muitos quilômetros na “komboza abacate”, adquirida através do edital 81/2013 do MDA/ CNPq, para revelar o quão a permacultura pode melhorar a qualidade de vida dos agricultores.

Levantamento de características dos solos em uma das propriedades rurais avaliadas.

Cristiane e Leila realizando o levantamento de características dos solos em uma das propriedades rurais avaliadas em São Bonifácio.

Após concluir o Curso de Planejamento em Permacultura os agricultores passaram a implementar, com o apoio da equipe do NEPerma, modificações em seus espaços de manejo. Estas mudanças estão sendo realizadas/monitoradas em um regime de pesquisa-ação. Esta etapa de pesquisa prevê a realização de entrevistas com os produtores rurais, para compreensão das mudanças que a permacultura pode promover na sustentabilidade das propriedades rurais. Além desta ação, estão sendo realizadas coletas de amostras de solos para o entendimento de melhoras na saúde destes, uma vez submetidos ao manejo ecológico.

Leão, Andreia, Marcelo, Celso, Aline, Arthur Arno após concluído o enchimento dos sacos de produção de morangos com a solução local.

Leão, Andreia, Marcelo, Celso, Aline, Arthur, Jefferson e Arno após concluído o enchimento dos sacos de produção de morangos com a solução local.

Na propriedade de Andreia e Leão, produtores neorurais de Águas Mornas, o NEPerma avalia o uso de biomassa local para o cultivos vegetais e para a criação de galinhas. Na produção de morangos, estamos testando a substituição de um pacote comercial por uma solução local de substrato em sacos. No espaço de produção da família Souza em Rio Fortuna, a equipe realizou a coleta de amostras de solos para determinação densidades e fertilidade. Além disso, foi realizado um levantamento de plantas espontâneas bioindicadoras de fertilidade dos solos. Nesta parcela da propriedade está em curso o desenvolvimento de um Sistema Agroflorestal (SAF) que contará com a inserção de galinhas.

Arno, Jefferson e Reinaldo de Souza na área de SAF que receberá a introdução de galinhas no manejo.

Arno, Jefferson e Reinaldo de Souza na área de SAF que receberá a introdução de galinhas no manejo.

Na quarta unidade familiar que o Terra Permanente avalia, o foco da pesquisa está voltado para a reorganização do espaço de convivência de um assentamento coletivo. Esta avaliação partiu do mapeamento da biodiversidade existente e como esta se situa enquanto zonas energéticas da permacultura.

Arthur, Vera, Jefferson, Guisela, Aline, Marcelo e Arno na zona 1 de uma das participantes do projeto SPAço em São Pedro de Alcântara.

Arthur, Vera, Jefferson, Guisela, Aline, Marcelo e Arno na zona 1 de uma das participantes do projeto SPAço em São Pedro de Alcântara.

A etapa de pesquisa continuará em 2015 com o acompanhamento das ações das famílias que resolveram incorporar a permacultura em suas rotinas de vida. Serão mais 3 campanhas de campo até setembro, para sabermos em um total de 18 meses, como estas ações estão afetando a qualidade de vida destas famílias.

NEPerma lança vídeos com depoimentos de alunos

11/12/2014 19:22

natifio_depoimentoO NEPerma lança uma série 13 vídeos contendo depoimentos de alunos que cursaram o Curso de Planejamento em Permacultura (PDC) do projeto Terra Permanente, oferecido pelo NEPerma em parceria com a ACESPA e CEDEJOR e financiado pelo Ministério de Desenvolvimento Agrário e CNPq.

Esta série de depoimentos traz as sensações e expectativas criadas pelo PDC nos colegas que passaram por esta experiência. Os vídeos falam por si e o NEPerma agradece a todos pela oportunidade de compartilhar com o público suas experiências a respeito desta passagem.

O projeto Terra Permanente envolve atividades de pesquisa-ação em um universo onde os participantes, uma vez empoderados pelo PDC, passam a participar de ações de pesquisa em quatro Unidades Familiares Produtivas em municípios da grande Florianópolis.

A ideia dos vídeos foi concebida pelos participantes do NEPerma. A etapa de aquisição de imagens contou com Leticia dos Santos e Andersson Brito. A seleção de trechos por Arthur Nanni e pós-edição por Andersson Brito.

Assista a série de vídeos em nosso canal no Youtube

NEPerma forma mais uma turma de permacultores

09/12/2014 19:06
A turma formada por Rodrigo, Pricilla, Isadora, Raiza (bis), Vanessa, Morgana, Guilherme, Fernanda, Ana, Pedro, Marlon, Caio, Gabriel, Patrícia, Flamissiano, João Armondi e João Gomes

A turma formada por Rodrigo, Priscilla, Isadora, Raiza (bis), Vanessa, Morgana, Guilherme, Fernanda, Ana, Pedro, Marlon, Caio, Gabriel, Patrícia, Flamissiano, João Armondi e João Gomes

Valorizando a diversidade, principalmente de cursos de origem, o NEPerma formou neste semestre mais 18 novos permacultorxs,  por meio da disciplina Introdução à Permacultura GCN7938. No total, 100 educandos se formaram pelo Núcleo em seis edições do curso, que também será ofertado no semestre de 2015/1.

As permacultoras fujonas, Agnis e Aline.

As permacultoras fujonas, Agnis e Aline.

O projeto final de planejamento territorial desenvolvido pelos alunos, envolveu a criação de uma proposta de sede para a Associação Campo e Ervas de São Pedro de Alcântara (ACESPA), na grande Florianópolis. A turma foi divida em três grupos, que apresentaram diferentes ideias em relatórios, mapas e maquetes digitais. Os trabalhos serão levados para a ACESPA para discussão de iniciativas de implantação da nova sede da associação.

Com esta ação junto a ACESPA, o NEPerma vem promovendo a promoção da permacultura na grande Florianópolis, uma vez que têm promovido cursos de planejamento permacultural para agricultores extensionistas rurais e entusiastas, viabilizando, desta forma, o entendimento de novas e sustentáveis formas de desenvolvimento.
Projeto de sede apresentado pelo grupo de alunos.

Projeto de sede apresentado pelo grupo de alunos.

A continuidade da parceria ACESPA e NEPerma e das atividades promovidas dependerá agora, da fixação da ACESPA junto ao Campo de Demonstração, uma área da CIDASC situada em São Pedro de Alcântara. O NEPerma entende que a área é fundamental para a prática de ações em permacultura, desde a promoção de cursos de extensão até a realização de experimentos, que serão a base das atividades de ensino, desenvolvidas desde 2012.

O planejamento está em curso. A construção de uma nova sede, pensada sob os moldes da permacultura e que valoriza o saber local e as atividades comunitárias já prestadas pela ACESPA, depende agora da efetivação do local como área experimental.

Permacultura na 13ª SEPEX

06/11/2014 14:41
Estande da Permacultura na SEPEX.

Estande da Permacultura na SEPEX.

Com a proposta de integrar os estandes do NEAMb, Geabio, TSGA e INCT, a equipe do NEPerma preparou para esta SEPEX, materiais de divulgação das atividades realizadas pelo núcleo, sobre o que é a permacultura e como ela pode ser útil a humanidade.

Assim, o estande contou com a participação direta dos parceiros do GEABio para esclarecer e informar o público a respeito dos princípios da permacultura, as zonas energéticas, ecologia cultivada, o perigo dos transgênicos, uso de veículos movidos a tração animal (bicicleta), dentre outros assuntos que perpassam os dois grupos.

Além dos cartazes explicativos e com registro dos projetos do NEPerma e GEABio, o estande ofereceu também, mudas de Açaí Juraçara (para doação), amostras de solo, variedades de leguminosas, espécies cultivadas na horta do Geabio e plantas alimentícias não-convencionais (PANCs) para exposição e degustação. Ainda foi realizada uma oficina de Plantas Alimentícias Não Convencionais e uma roda de conversa sobre Permacultura.

Um descontentamento do de todos os grupos envolvidos foi um não entendimento de montagem dos estandes, por parte da comissão de organização da SEPEX, que infelizmente segregou os espaços entre os grupos com divisórias, dificultando a integração entre esses e prejudicando o compartilhamento dos conhecimentos com o público.

Agradecemos ao público que interagiu com os estantes dos grupos, pelo trabalho em conjunto e esperamos continuar com essa parceria para futuras atividades.

Texto: Letícia dos Santos

Concluído o PDC Terra Permanente

22/10/2014 00:20
Andersson, Fátima, Inácio, Anastácia, Luciano, Letícia, Dianara, Soraya, Lucio Cassandra, Guisela, Arno, Andreia, Theo, Arthur, Marcelo, Grasi (Caio), Rayane, Angela, Reynaldo, Natífio, Celso, Cristiane, Cleusa e Suzano (que fugiu da foto).

Andersson, Fátima, Inácio, Anastácia, Luciano, Leticia, Dianara, Soraya, Lucio Cassandra, Guisela, Arno, Andreia, Theo, Arthur, Marcelo, Grasi (Caio), Rayane, Angela, Reynaldo, Natífio, Celso, Cristiane, Cleusa e Suzano (que fugiu da foto).

Na última semana o NEPerma, em parceria com a ACESPA e CEDEJOR e apoio do MDA e CNPq, concluiu o PDC presencial vinculado ao projeto Terra Permanente. Nessa turma, formaram-se mais 19 permacultores, aptos a multiplicar os conhecimentos da permacultura.

O PDC presencial foi conduzido por 10 instrutores e contou com um total de 105 horas onde os permaculturandos tiveram a oportunidade de vivenciar experiências teóricas e práticas:

  • História da permacultura e a sua inspiração. Por quê Permacultura? (Arthur Nanni)
  • Princípios éticos, dos sistemas e de planejamento (Arthur Nanni)
  • Conceitos fundamentais de ecologia (Jorge Timmermann)
  • Padrões físicos e temporais (Jorge Timmermann)
  • Elementos de paisagem (Jorge Timmermann)
  • Método de planejamento do espaço (Suzana Maringoni)
  • Visita técnica em Yvy Porã (São Pedro de Alcântara/SC)
  • Solos (Marcelo Venturi)
  • Agricultura ecológica (Marcelo Venturi)
  • Sistema Agroflorestais (Grasiela Willrich)
  • Plantas Alimentícias Não-convencionais (Jefferson Mota)
  • Visita técnica no Sítio Silva (Jorge Silva – Anitápolis/SC)
  • Água (Arthur Nanni)
  • Visita técnica no Sítio Igatu (São Pedro de Alcântara/SC)
  • Energia na paisagem (Arthur Nanni)
  • Bioarquitetura (Soraya Nór)
  • Estruturas invisíveis (Arthur Nanni)
  • Diagnóstico rural participativo (Thaise Guzzatti e José Giovani Farias
  • Visita técnica às Unidades Familiares Produtivas em São Bonifácio, Rio Fortuna, Águas Mornas e São Pedro de Alcântara
  • Apresentação dos projetos finais de planejamento permacultural para a Unidade Familiar produtiva.

Em 2015 o NEPerma irá oferecer o seu primeiro PDC à distância, em parceria com o MDA e CNPq.

Lá se foi o quarto bloco do projeto Terra Permanente

16/09/2014 08:55
José Giovani e Thaise conduzindo o diagnóstico rural coletivo.

José Giovani e Thaise conduzindo o diagnóstico rural coletivo.

O NEPerma, em conjunto com a ACESPA e CEDEJOR e apoiado pelo MDA e CNPq, concluiu o quarto bloco PDC presencial do projeto Terra Permanente. Neste bloco foram mais três dias de intensa atividade, incluindo dois dias de campo onde os permaculturandos puderam conhecer as quatro Unidades Familiares Produtivas (UFPs), que serão alvo do projeto final.

No terceiro dia, o Diagnóstico Rural Participativo conduzido pelos colegas José Giovani (Epagri) e Thaise (UFSC), pode fornecer aos cursistas uma visão abrangente da situação da realizada das quatro UFPs, duas de produtores agroecológicos e duas de moradores neorurais em estabelecimento, sendo uma unifamiliar e outra com proposta de ecovila.

O bloco contou ainda com a experiência dos colegas Jorge e Suzana, que acompanharam os três dias do bloco, auxiliando os permaculturandos no diagnóstico.

Jorge, Suzana, Anastácia, Lúcio e Reinaldo conferindo o diagnóstico rural participativo.

Jorge, Suzana, Anastácia, Lúcio e Reinaldo construindo o diagnóstico rural participativo.

Os cursistas caminham agora para o projeto final de planejamento permacultural nas quatro UFPs selecionadas.

Para fechar, o NEPerma ainda participou no sábado dia 13/09, do 2o. Acampamento da Juventude da Agricultura Familiar e da Pesca, em Orleans-SC. A juventude rural pode saber um pouco mais sobre o que é Permacultura e como ela pode ser praticada para gerar maior qualidade de vida no campo.

 

A sexta turma de permacultura vem de todos as direções

06/09/2014 21:22
Procura e alunos efetivados, por curso de origem, na sexta turma de permacultura.

Procura e alunos efetivados, por curso de origem, na sexta turma de permacultura.

A sexta edição da disciplina Introdução à Permacultura apresentou uma intensa busca por vagas. Um total de 59 alunos de diferentes cursos de graduação, pós-graduação e externos à UFSC efetivaram matrícula e/ou compareceram nos dois primeiros encontros do semestre 2014/2.

O processo de seleção de alunos seguiu o critério já adotado em 2014/1 e, após os dois primeiros encontros, houve a seleção de alunos para as 8 vagas adicionais previstas. Prioridade de matrícula para o curso de Geografia, a turma passou a contar com estudantes de 8 diferentes cursos de graduação da UFSC.

A busca pela diversidade de linhas de pensamento no preenchimento das vagas da disciplina, faz-se necessária, para que os 20 alunos que seguirão até o final do semestre, possam vivenciar um intercâmbio mais intenso de informações entre colegas de diferentes áreas do conhecimento, enriquecendo as aulas que passam a orbitar em diferentes linguagens técnicas.

Um importante registro foi a busca pelas vagas adicionais por 23 pessoas externas à UFSC interessadas em cursar a disciplina. Nenhuma destas demandas pode ser atendida, pois a suplência na matrícula prioriza o ingresso de alunos da UFSC. Desta forma, se você é aluno da UFSC e deseja cursar Introdução à Permacultura, efetive sua matrícula no próximo processo de matrícula e compareça nos dois primeiros encontros.

A disciplina Introdução à Permacultura é uma iniciativa do Núcleo de Estudos em Permacultura e está vinculada ao curso de graduação em Geografia da UFSC.

Acompanhe as atividades da Permacultura UFSC no Facebook

NEPerma conclui o terceiro bloco do PDC Terra Permanente

14/08/2014 23:02
A arquiteta Soraya Nór compartilhando conhecimentos sobre a técnica construtiva com barro bambu-a-pique.

Soraya Nór compartilhando conhecimentos sobre a técnica construtiva com barro bambu-a-pique.

Nesta semana o NEPerma concluiu o 3o. bloco do curso de planejamento permacultural (PDC) do projeto Terra Permanente. Foram mais três dias de intensas atividades junto a ACESPA, parceira no desenvolvimento do projeto Terra Permanente.

Neste bloco, os alunos vivenciaram a discussão acerca da sistematização de águas na paisagem e no ambiente planejado, bioconstruções, energia na paisagem e o seu aproveitamento e, estruturas invisíveis.

Arthur Nanni apresentando do Sistema Agroflorestal (SAF) "de carona" implanto na Zona 3 do sítio Igatu em São Pedro de Alcântara.

Arthur Nanni apresentando do Sistema Agroflorestal (SAF) “de carona” implanto na Zona 3 do sítio Igatu em São Pedro de Alcântara.

Os alunos do curso, representados por agricultores e extensionistas rurais de seis municípios de Santa Catarina, prosseguirão até outubro participando de atividades teórico-práticas para melhor compreender as potencialidades de aplicação da permacultura em suas propriedades rurais, desde a concepção de pequenos elementos até o planejamento sistêmico integrado.

Este bloco do curso contou com duas práticas, a bioconstrução de paredes a partir da técnica construtiva bambu-a-pique e também, a visita técnica ao sítio Igatu, para verificação de conhecimentos até aqui compartilhados, como distribuição de zonas, seus elementos constituintes e formas de manejo integradoras entre zonas energéticas da propriedade rural.

“Sinta o fluxo e trabalhe com ele”

Em tudo existe energia, então, se a gente não souber sentir aonde está esta energia no espaço em que a gente tá, a gente não vai conseguir trabalhar com esse fluxo e não vai deixar a natureza fazer o trabalho dela e a gente conseguir trabalhar junto com ela.

Reinaldo de Souza – agricultor de Rio Fortuna – SC

 O curso de planejamento permacultural do projeto Terra Permanente tem o apoio do MDA e CNPq.

Permacultura 2014/2

24/07/2014 08:59
Aula prática em visita a permacultores que vivem da permacultura.

Aula prática em visita a permacultores que vivem da permacultura.

Em 2014/2 irá rolar mais uma edição da disciplina Introdução à permacultura que possui o mesmo currículo e carga horária de um Permaculture Design Course (PDC), reconhecido internacionalmente. Neste semestre serão disponibilizadas mais vagas para estudantes externos ao departamento de geociências.

Neste período de matrículas procure por GCN7938 – Introdução à permacultura e efetive sua matrícula, mesmo que o sistema acuse “sem vagas”. As aulas ocorrerão nas tardes das quartas-feiras no prédio do CCJ – sala 006 – e temos previstas 3 atividades de campo.

As vagas adicionais serão definidas ao final do segundo encontro (2ª semana). Assim, mesmo que o sistema de matrícula tenha acusado negativo o seu pedido de vaga, apareça nos dois primeiros encontros para acompanhar a definição do preenchimento das vagas.