Permacultura na escola certifica a primeira turma

24/11/2019 23:59

Docentes da Escola Gama Rosa que concluíram a formação técnica. Na foto: Caio, Arthur, Bruna Clezar, Armando Rodrigues, Luíza Passos e Letícia Hoffmann. Ainda concluiu o curso, a professora Patrícia Meira.

Na última sexta, dia 22, ocorreu a certificação do grupo de docentes da Escola de Ensino Básico Gama Rosa, resultado da conclusão do Curso de Planejamento em Permacultura (PDC).

O curso é um componente de extensão universitária do projeto Permacultura na Escola, que busca capacitar docentes de educação básica para o planejamento espacial e organizacional do ambiente de escolar. Cerne da fase inicial do projeto e etapa crucial, o curso permitirá a ação direta de docentes na rotina escolar, tanto no aprimoramento do ensino da educação ambiental de forma crítica, quanto auxiliar no desenvolvimento de conteúdos de outras disciplinas, por se tratar de uma temática, trans-multi-interdisciplinar.

Iniciada em fevereiro de 2019, a formação teve a adesão inicial de 17 docentes, porém finalizou com apenas cinco. Dentre as desistências estão razões como final de contratos de professores substitutos, desconhecimento da temática, não engajamento ou mesmo, percalços burocráticos criados em virtude da longa carga horária apresentada.

A conclusão do curso, além de incluir a formação básica em permacultura – o tradicional PDC – considerou também a realização de atividades complementares, como a análise de aplicação da permacultura em disciplinas específicas e a transmissão da mesma para educandos portadores de necessidades especiais. Assim, os participantes puderam exercitar o potencial de uso da permacultura como “ferramenta” pedagógica. Dentre os resultados, ações como oficinas de pintura com geotintas, criação de vídeos didáticos e aprofundamento em temas como “Energia” nas aulas de física, foram destaque no processo formativo dos docentes.

Planejamento por setores na Escola de Ensino Básico Gama Rosa.

O projeto final da formação, uma etapa obrigatória, envolveu o planejamento do ambiente escolar com base na lógica da permacultura, que se utiliza de uma visão sistêmica e integradora visando otimizar recursos e energias nos processos rotineiros da escola, na busca de uma vida mais sustentável e harmoniosa com o planeta. O processo de planejar um novo ambiente de ensino teve como base referência o livro Criando Habitats na Escola Sustentável (Legan, 2009), obra  que “dá aos educadores as ferramentas necessárias para criar um vasto currículo em meio ambiente cativando estudantes em atividades divertidas e práticas na sala de aula ao ar livre” (Imprensa Oficial de SP).

O projeto Permacultura na Escola tem como objetivo melhor compreender o potencial de aplicação da permacultura no ensino de educação ambiental para os níveis fundamental e médio. Paralelamente, o projeto busca entender a partir da pesquisa-ação, como a permacultura pode ser inserida nos projetos pedagógicos escolares da educação básica.

Referência

LEGAN, L. Criando habitats na escola sustentável: livro de Educador / Lucia Legan. – Imprensa Oficial do Estado de São Paulo, Pirenópolis, GO : Ecocentro IPEC, 2009. 96p. : il.

Tags: EcoformaçãoEducação ambientalEnsino de permaculturaExtensãoPermacultura na escola

NEPerma recebe reconhecimento pela Câmara de Vereadores de Florianópolis

07/06/2019 17:02

Marcelo Venturi recebendo o diploma.

No dia do Meio Ambiente, 5 de junho de 2019, o Núcleo de Estudos em Permacultura da UFSC, juntamente com outras 32 iniciativas, entidades e projetos da Grande Florianópolis, recebeu o Diploma de Reconhecimento da Câmara dos Vereadores de Florianópolis, pelas atividades de “valorização e colaboração na preservação dos recursos naturais”, por proposição do vereador permacultor Marquito – Marcos José de Abreu.

No evento as entidades agradeceram ao reconhecimento e algumas apresentaram suas histórias e manifestaram suas preocupações com as condições das condições e políticas ambientais atuais. Foi um ótimo momento de (re)encontro e trocas de contatos e possibilidades.

 

 

Tags: Educação ambiental

Permacultura na academia em discussão

14/12/2018 17:11

Arthur Nanni, apresentando resultados do NEPerma/UFSC. Foto: Paolo Martins.

O NEPerma esteve presente no 2º Seminário de Pesquisa em Permacultura, Agroecologia e Educação Ambiental, promovido pelo Instituto Permacultura Lab em parceria com o Grupo de Estudos em Educação Ambiental desde El Sur (GEASur). O evento ocorreu na Universidade Federal do Estado do Rio de Janeiro no início de dezembro.

Dentre outras importantes pautas de discussão sobre educação ambiental, o NEPerma apresentou os resultados de seus seis primeiros anos de estrada no ensino, pesquisa e extensão. Permacultura e academia foi o tema abordado pelo permacultor Arthur Nanni, que apresentou uma síntese sobre iniciativas da permacultura em instituições de ensino superior no mundo e no Brasil, com destaque para os resultados e produtos obtidos e produzidos pelo NEPerma/UFSC.

Nascida na academia na década de 70, a permacultura enquanto movimento, ganhou o mundo e atualmente está presente em mais de 150 países, basicamente estruturada em estações, fazendas e institutos que desenvolvem e promovem esse movimento raiz. Na última década, o amadurecimento dos processos de ensino e pesquisa, bem como a efetiva aplicação de suas técnicas, fez com que a permacultura ganhasse espaço no terreno acadêmico, onde então, passa a ser considerada uma ciência socioambiental de cunho holístico. Sua recente trajetória na academia vem trazendo avanços nos critérios de adoção de sua filosofia de entendimento de mundo, principalmente no que tange à educação ambiental e reorganização social.

A discussão da reinserção da permacultura na academia vem de longa data e envolve muitos pontos importantes de consideração. Dentre eles, a discussão sobre a institucionalização do movimento/ciência para além dos tradicionais institutos de promoção da permacultura, o que supostamente poderia enfraquecer seu caráter anárquico pautado na autogestão.

A equipe do NEPerma/UFSC vem trabalhando essas discussões e entende que o papel da academia no desenvolvimento da permacultura, passa por dar suporte técnico-científico, buscando melhorar métodos de ensino e instrumentos pedagógicos, bem como, validar cientificamente processos praticados. Assim, busca-se fortalecer, através de ações de pesquisa, extensão e ensino, tanto a ciência, quanto o movimento, seguindo os passos da agroecologia, que conta com inúmeros cursos de graduação e pós-graduação no Brasil. Dessa forma, a universidade atende seus objetivos de gerar conhecimento e levar à população, novas possibilidades de viver e conviver em sociedade e com o planeta.

O conteúdo da palestra está descrito no artigo Construindo a permacultura na academia brasileira, publicado recentemente.

Saiba mais sobre o Evento e o Instituto Permacultura lab

Tags: academiaEducação ambientalEnsino de permaculturaEnsino de permacultura

Projeto do Bosque é premiado em Brasília

30/08/2018 11:33

Em 23 de agosto ocorreu a premiação do Projeto de Recuperação do Bosque do CFH no evento 7° Prêmio da Agenda Ambiental de Administração Pública (A3P) “Melhores Práticas de Sustentabilidade”, promovido pelo Ministério do Meio Ambiente (MMA). Dentre mais de 70 projetos inscritos, o projeto da UFSC ficou selecionado entre 12 na categoria Uso e Manejo de Recursos Naturais.

Equipe do NEPerma e CGA na premiação.

O projeto de Recuperação do Bosque do CFH é uma iniciativa discente que existe desde 2014 e é coordenado pelo NEPerma em parceria com a Coordenadoria de Gestão Ambiental da UFSC (CGA). As ações de recuperação desenvolvidas buscam melhorias na estruturação e fertilidade dos solos,  incluindo desde o restabelecimento da cobertura vegetal, remoção de espécies vegetais exóticas (Eucalyptus e Casuarinas), plantio de sementes e mudas e de mata ciliar dos cursos d’água.

A premiação não apenas é uma forma de reconhecimento do empenho e das diretrizes adotadas no desenvolvimento do projeto, inclui também uma forma de reconhecimento da necessidade da quebra de antigos paradigmas, permitindo assim, uma abertura à novas pluralidades nos conceitos de recuperação e educação ambiental, sendo a permacultura e agroecologia amplamente utilizadas nesse processo.

O Prêmio A3P é uma iniciativa que busca reconhecer nacionalmente projetos que possam se tornar modelo de sustentabilidade e uso racional dos bens públicos e recursos naturais, impactando na qualidade de vida de quem faz mão destes serviços e gerando conscientização.

O Projeto segue suas atividades em constância com a lógica da permacultura, através da construção coletiva da recuperação ambiental do Bosque do CFH. Quer participar? Todas as sextas-feiras a partir das 9:00 ocorrem mutirões participativos no Bosque, é só chegar!

Leia mais no site do Ministério do Meio ambiente

Texto: Allisson Castro, Amanda Vita e Luiz Leal

Revisão: Arthur Nanni

Tags: Educação ambientalPrêmioProjeto BosqueUFSC

Recuperação do bosque da UFSC foi oficina na SEMAGEO desse ano

27/10/2017 08:27

 

Luiz Leal, permacultor e bolsista do projeto, explicando aos participantes às técnicas de recuperação por meio de Sistemas Agroflorestais dentro do planejamento por zonas energéticas da permacultura.

O NEPerma ofereceu durante a 38ª Semana Acadêmica de Geografia da UFSC a oficina “Introdução à Recuperação Ambiental e ao Manejo Agroflorestal do Bosque da UFSC. A oficina foi ministrada por Luiz Leal, Mel Gonçalves e Maria Helena Lenzi.

Na oficina, os participantes puderam compreender melhor o planejamento de espaços pensado através da lógica da permacultura, suas zonas energéticas e distribuição de elementos na paisagem. Essas estratégias possibilitam a recuperação de ambientes por meio de técnicas que, uma vez integradas, conduzem a uma maior efetividade do processo.

O projeto de recuperação ambiental teve início em 2014 e é uma iniciativa de acadêmicos de diferentes cursos da UFSC, que conta com a coordenação compartilhada do NEPerma e da Gestão Ambiental.

Para saber mais sobre as ações do projeto…

Tags: Educação ambiental

Cartilha do Bosque da UFSC

02/09/2017 14:47

O projeto de extensão de Recuperação Ambiental do Bosque da UFSC lança sua cartilha virtual. Com ela, o projeto busca mostrar o que está sendo feito para a recuperação da área do bosque e, também, orientar e educar os leitores para questões ambientais.

A cartilha é uma iniciativa dos permacultores e estudantes de graduação Pedro Buss Martins, Guilherme Fabrin, Leonardo Saconatto e Lucas Espirito Santo.

Baixe a cartilha aqui

 

Tags: Educação ambientalProjeto Bosque

Permacultura e Educação Ambiental no Bosque do CFH/UFSC

11/05/2017 22:23

Iniciaram-se hoje as atividades semanais do Projeto Permacultura e Educação Ambiental no Bosque do CFH/UFSC. Estas atividades serão uma excelente oportunidade para práticas e troca de saberes sobre permacultura, agroecologia, sistemas agroflorestais e educação ambiental. Os participantes poderão conhecer as ações já realizadas para a recuperação ambiental do Bosque do CFH, conhecer os princípios e práticas da permacultura, implantar e manejar sistemas agroflorestais agroecológicos, aprender sobre bioconstrução com uso de terras e bambu, entre outros temas.

Quando? Todas as quintas-feiras, a partir das 14:30h.

Onde? no Bosque do CFH, próximo ao Planetário da UFSC.

Todas as atividades são gratuitas e abertas à comunidade!

O que sugerimos levar: sementes para plantar, roupa adequada para colocar a mão na terra (idealmente calça, camiseta manga longa, calçado fechado), luvas, facão (se quiser), repelente e proteção solar.

O projeto dispõe de ferramentas e carrinhos de mão.

Em caso de chuva não teremos atividade no dia.

Confira algumas fotos de atividades anteriores no Bosque

I Oficina de Agrofloresta Agroecológica – outubro de 2016

I Oficina de Bioconstrução: o bambu como material de construção – outubro de 2016

Tags: AtividadesEducação ambientalProjeto Bosque

Permacultura e educação ambiental são temas de TCC na geografia

17/12/2016 20:34
Petra Viebrantz e a banca avaliadora de seu trabalho de conclusão de curso.

Petra Viebrantz e a banca avaliadora de seu trabalho de conclusão de curso.

O trabalho de conclusão e curso (TCC) de Petra Viebrantz, que versou sobre “A permacultura como estratégia de educação ambiental formal: potencialidades e limitações“, foi apresentado em 16 de dezembro de 2016 no NEPerma, sob a avaliação da banca constituída pelo orientador Arthur Nanni, a Profa. Rosemy Nascimento doutorando em Geografia e Mestre em Ecossistemas Marcelo Venturi.

O trabalho apresenta uma revisão bibliográfica sobre a permacultura expondo sua visão, os princípios éticos e o método de planejamento espaços, abordando a temática sobre permacultura em escolas e o ensino de educação ambiental formal. O TCC versou sobre as principais políticas públicas e programas relacionados ao tema no Brasil, em Santa Catarina e no município de Florianópolis, contextualizando também a função social das escolas dentro desta temática.

O TCC nasceu de um estudo de caso vinculado ao projeto de extensão “Permacultura na Escola”, realizado na EBM Maria C. Nunes, localizada no bairro Rio Vermelho em Florianópolis entre 2013 e 2014, relatando como se deu a realização do planejamento permacultural e o processo pedagógico de ensino baseado na permacultura desenvolvido na escola, apontando através de resultados de pesquisa, quais foram os potenciais e as limitações encontradas.

Texto de Petra Viebrantz com revisão de Arthur Nanni

Tags: Educação ambientalEnsino de permaculturaTCC

PermaChico: Formação Franciscana em Permacultura

26/07/2016 16:33

Com o objetivo de implantar um Programa de Formação para a Sustentabilidade e um espaço educador sustentável para os seminaristas e freis franciscanos, a Província São Lourenço de Brindes dos Freis Capuchinhos do Paraná e Santa Catarina firmou junto ao Núcleo de Estudos em Permacultura o Projeto de Formação – Espiritualidade Franciscana e Ecologia.

Seminaristas e freis franciscanos se juntam à equipe do projeto em dinâmica da diversidade.

O projeto compreende um curso de extensão em educação ecológica seguindo os moldes do Curso de Planejamento Permacultural (PDC), carinhosamente denominado como PermaChico, e em 2016 terá a duração de 9 meses.

O PermaChico conta com sete visitas da equipe ao seminário franciscano para as aulas práticas em Almirante Tamandaré/PR e é acrescido de conteúdos a distância compostos por textos, vídeos e exercícios, gerando uma carga horária total de 128 horas.

A equipe do projeto é constituída por permacultores do NEPerma: Aline de Vasconcelos e Marcelo Venturi, com participação especial dos permacultores Letícia dos Santos, Jefferson Mota e Arthur Nanni, além de dois representantes da província franciscana, Luiz Antônio Frigo e Rívea Borges. Um projeto participativo e integrativo, criador e mantenedor de redes de trabalho.

Permacultura em uma palavra.

Segundo os representantes da Província a pretensão é que o programa de formação seja um processo contínuo nas propriedades franciscanas, tornando-se uma ferramenta efetiva de gestão ambiental. Para eles a permacultura é uma forma de estar em coerência e demonstrar o compromisso pessoal e institucional mais responsável com o aspecto ecológico da missão Franciscana.

“Permacultura não é mais um jeito de viver como um ‘natureba individualista’,
mas sim reconhecer-se como parte de um ecossistema, e ficar atentos às consequências que seus atos trazem para ele”

Paulo Daniel Pereira Matias, Seminarista Franciscano

Ao unir os saberes permaculturais e francisclarianos o projeto aposta na permacultura como forma de construir/materializar os caminhos propostos por São Francisco de Assis.

Texto de Aline de Vasconcelos

Diálogo após observação da natureza e prática de leitura da paisagem.

 

Aula PANCs Plantas Alimentícias Não Convencionais.

 

 

 

 

 

 

 

 

 

 

Tags: Educação ambientalEnsino de permaculturaPermaChico

Projeto de Recuperação Ambiental do Bosque da UFSC

20/05/2016 15:53

O bosque da UFSC é uma das principais áreas verdes do campus, apresentando relevante importância para a qualidade de vida no ambiente universitário enquanto espaço de convivência. Encontra-se na porção sul do campus Trindade ao lado dos Centros de Filosofia e CIências Humanas (CFH) e o de Educação (CED) e compreende uma área de aproximadamente 50.000 m2. Constitui-se por aŕeas em diferentes estágios de sucessão ecológica, umas mais degradadas em estágio inicial e outras, em estágios mais avançado com vegetação bem desenvolvida. O Bosque também apresenta cursos de água, caracterizando a maior parte de sua extensão como área de preservação permanente.

A proposta de recuperação ambiental do bosque é uma iniciativa da Comissão de Revitalização do CFH, em parceria com o NEPerma e a Coordenadoria de Gestão Ambiental da UFSC e está em curso desde 2014. O objetivo é aliar a recuperação das áreas degradadas à produção de alimentos através da implantação de agroecossistemas planejados segundo a filosofia da permacultura.

Área do bosque junto ao CFH e CED.

Área do bosque junto ao CFH e CED.

O planejamento permacultural do Bosque da UFSC é uma etapa fundamental no processo de recuperação da área, bem como para a continuação e realização dos objetivos do projeto, pois servirá como diretriz para as ações do uso e manejo desta importante área verde. Este planejamento, que poderá ser utilizado como subsídio para um possível Plano de Manejo do Bosque da UFSC, está sendo desenvolvido com base nos princípios de planejamento da permacultura, dentre os quais está o conceito de zonas energéticas, que serviu como base para esta primeira fase de planejamento. O zoneamento energético tem como objetivo a organização do espaço com base nas necessidades energéticas de cada local, de maneira que áreas que demandam maior investimento de energia e trabalho no seu uso e manejo estejam localizadas próximas ao centro de energia, neste caso representado pela sede do projeto.
Para a definição das zonas energéticas na área do Bosque levou-se em consideração os elementos que já estavam presentes no local: espécies arbóreas, áreas de uso consolidado, locais de convivência e circulação, infraestrutura predial, etc. A partir dessa análise, foram definidos locais para a implementação de agroecossistemas de acordo com o propósito de cada zona energética, sendo adotadas técnicas de plantio mais intensivo próximo a zona 0 e menos intenso nas áreas caracterizadas como zona 3, conforme a Figura 2. A proposta de usos e manejo para cada zona energética é descrita a seguir.

Planejamento por zonas energéticas da permacultura.

Permaculture energetic zones design.

Zona 0 – Sede do projeto
Localizada na porção mais elevada do Bosque, será constituída pela sede do projeto e do Parque Ambiental da UFSC, a qual servirá como recepção para visitantes, ações educativas, centro de convivência e reuniões e atividades administrativas. Esta zona abrigará uma edificação bioconstruída.
Zona 1 – Horta, início do circuito didático, espiral de ervas, compostagem, minhocário
Próxima à sede, a zona 1 será constituída por uma horta modelo de técnicas agroecológicas, pelo início do circuito didático, espiral de ervas aromáticas e medicinais, espaço para compostagem microbiana e minhocário.
Zona 2 – Pomares
A zona 2 será constituída principalmente por um pomar permacultural, com árvores frutíferas e de interesse ecológico, que será implementado na área hoje ocupada por eucaliptos.
Zona 3 – Sistemas agroflorestais
A zona 3 do Bosque será destinada à implantação de sistemas agroflorestais multifuncionais que servirão como mata ciliar para os cursos de água onde há ausência de vegetação e em áreas abertas e degradadas.

Zona 5 – área de convivência, inspiração e regeneração natural
Foram definidas como zona 5 as áreas que apresentam vegetação já consolidada, em avançado estágio de sucessão, e as áreas utilizadas para descanso e convivência.
O projeto segue em execução e conta com a realização de mutirões de manejo agroecológico, onde são compartilhados os conhecimentos a respeito da filosofia da permacultura e de técnicas de produção de alimentos e recuperação de áreas degradadas adotadas.
Para saber mais:
http://gestaoambiental.ufsc.br/projeto-bosque/
https://www.facebook.com/groups/Permacultura.UFSC/

Tags: Educação ambientalProjeto Bosque
  • Página 1 de 2
  • 1
  • 2