Sessão ao vivo “Permacultura na escola”

10/07/2020 18:39

A desconexão entre humanos e natureza vem se acentuando dia-a-dia gerando inúmeros problemas ambientais e contribuindo, para uma série de eventos extremos que revelam a crise civilizatória que estamos atravessando. Assim, urge que iniciemos uma reconexão com o planeta.

A permacultura tem se destacado como uma eficaz ferramenta de apoio a educação ambiental e formação de pessoas mais colaborativas, empáticas e altruístas. Assim, trabalhar a conscientização de crianças e jovens por meio da educação e  permacultura, poderemos ofertar a esses uma melhor compreensão sobre os problemas socioambientais que vivemos para propor atitudes e ações que possam melhor direcionar a caminhada de nossa espécie.

O Núcleo de Estudos em Permacultura da UFSC (NEPerma/UFSC) debateu sobre três diferentes experiências sobre a condução da permacultura na educação básica, com as participações de Jeane Pukall, Leila Paiter e Armando Rodriguez, professores/as no ensino básico e entusiastas da permacultura, numa sessão ao vivo com a mediação de Arthur Nanni.

Tags: Ensino de permaculturaPermacultura na escolaSessões ao vivo

NEPerma testa nova ferramenta didática voltada ao ensino de SAFAS

20/02/2020 15:54

Apresentação da ferramenta em Viçosa/MG.

Sistemas agroflorestais agroecológicos (SAFAS) são regularmente abordados na temática de ecologia cultivada, presente nos cursos de planejamento em permacultura (CPP) ofertados pelo NEPerma. Os SAFAS proporcionam uma sucessão vegetal manejada e com grande número de espécies alimentícias, medicinais, lenhosas e adubadeiras.

Recentemente, o agrônomo e permacultor Jefferson Mota apresentou uma nova metodologia de ensino sobre SAFAS no CPP realizado em Viçosa/MG, voltado para o público acadêmico, incluindo servidores professores, técnicos e alunos de pós-graduação.

A nova metodologia envolve o aprendizado lúdico que permite uma melhor compreensão dessa dinâmica de desenvolvimento e manejo dos SAFAS, através de métodos de ensino que vão além da projeção de fotos, vídeos, aula teórica e discussão. Com base nisso, o permacultor desenvolveu um sistema didático para montagem da Agrofloresta em sala de aula, apresentando pela primeira vez no Brasil o modelo em 3D. O material inicialmente foi desenvolvido para um curso de SAFAS aplicados à permacultura, ocorrido no Uruguai em agosto de 2019.

Aplicação no curso ministrado no Uruguai.

O modelo em 3D conta com aproximadamente 40 espécies dos diferentes estratos (andares) vegetais: rasteiro, baixo, médio, alto e emergente. As peças são confeccionadas com  materiais naturais, tais como sementes, madeira e, também, materiais sintéticos, como papel, porcelana fria (biscuit) e ímãs.

A nova ferramenta está em teste e em espera-se que em breve esteja disponível para consulta e aplicação por educadores e interessados na temática.

Texto: Jefferson Mota

Revisão: Arthur Nanni

Tags: EnsinoPermacultura na escola

Permacultura na escola certifica a primeira turma

24/11/2019 23:59

Docentes da Escola Gama Rosa que concluíram a formação técnica. Na foto: Caio, Arthur, Bruna Clezar, Armando Rodrigues, Luíza Passos e Letícia Hoffmann. Ainda concluiu o curso, a professora Patrícia Meira.

Na última sexta, dia 22, ocorreu a certificação do grupo de docentes da Escola de Ensino Básico Gama Rosa, resultado da conclusão do Curso de Planejamento em Permacultura (PDC).

O curso é um componente de extensão universitária do projeto Permacultura na Escola, que busca capacitar docentes de educação básica para o planejamento espacial e organizacional do ambiente de escolar. Cerne da fase inicial do projeto e etapa crucial, o curso permitirá a ação direta de docentes na rotina escolar, tanto no aprimoramento do ensino da educação ambiental de forma crítica, quanto auxiliar no desenvolvimento de conteúdos de outras disciplinas, por se tratar de uma temática, trans-multi-interdisciplinar.

Iniciada em fevereiro de 2019, a formação teve a adesão inicial de 17 docentes, porém finalizou com apenas cinco. Dentre as desistências estão razões como final de contratos de professores substitutos, desconhecimento da temática, não engajamento ou mesmo, percalços burocráticos criados em virtude da longa carga horária apresentada.

A conclusão do curso, além de incluir a formação básica em permacultura – o tradicional PDC – considerou também a realização de atividades complementares, como a análise de aplicação da permacultura em disciplinas específicas e a transmissão da mesma para educandos portadores de necessidades especiais. Assim, os participantes puderam exercitar o potencial de uso da permacultura como “ferramenta” pedagógica. Dentre os resultados, ações como oficinas de pintura com geotintas, criação de vídeos didáticos e aprofundamento em temas como “Energia” nas aulas de física, foram destaque no processo formativo dos docentes.

Planejamento por setores na Escola de Ensino Básico Gama Rosa.

O projeto final da formação, uma etapa obrigatória, envolveu o planejamento do ambiente escolar com base na lógica da permacultura, que se utiliza de uma visão sistêmica e integradora visando otimizar recursos e energias nos processos rotineiros da escola, na busca de uma vida mais sustentável e harmoniosa com o planeta. O processo de planejar um novo ambiente de ensino teve como base referência o livro Criando Habitats na Escola Sustentável (Legan, 2009), obra  que “dá aos educadores as ferramentas necessárias para criar um vasto currículo em meio ambiente cativando estudantes em atividades divertidas e práticas na sala de aula ao ar livre” (Imprensa Oficial de SP).

O projeto Permacultura na Escola tem como objetivo melhor compreender o potencial de aplicação da permacultura no ensino de educação ambiental para os níveis fundamental e médio. Paralelamente, o projeto busca entender a partir da pesquisa-ação, como a permacultura pode ser inserida nos projetos pedagógicos escolares da educação básica.

Referência

LEGAN, L. Criando habitats na escola sustentável: livro de Educador / Lucia Legan. – Imprensa Oficial do Estado de São Paulo, Pirenópolis, GO : Ecocentro IPEC, 2009. 96p. : il.

Tags: EcoformaçãoEducação ambientalEnsino de permaculturaExtensãoPermacultura na escola

Extensão visita a Escola Visconde de Taunay em Blumenau

14/06/2019 18:59

A escola é uma explosão de criatividade em todos os cantos.

“Olhei para a rua e vi um bolo de crianças. Era briga na certa. Ao aproximar me deparei com o inesperado, o grupo estava auxiliando uma jararaca a atravessar a rua”.

Passagens como essa passaram a ser parte do cotidiano da escola Visconde de Taunay com o desenvolver do projeto Escola sustentável, conta a professora Jeane Pitz Pukall, coordenadora da ação que acabou se transformando em sua pesquisa de mestrado.

Na última quinta, o projeto de extensão Permacultura na escola, desenvolvido pelo NEPerma em parceria com a Escola de Ensino Básico Gama Rosa de São Pedro de Alcântara, esteve em visita à Escola municipal Visconde Taunay, situada em Blumenau/SC. A proposta da iniciativa foi conhecer melhor o projeto Escola sustentável, desenvolvido desde 2011 com o intuito de ampliar a educação ambiental através de um modelo baseado nas éticas e princípios de planejamento da permacultura.

O projeto foi reconhecido e premiado com destaque nacional e internacional. Segundo Jeane, seu êxito está alicerçado no empoderamento dos educandos ao longo do processo de implantação, manejo e gestão das ações desenvolvidas no ambiente escolar com a participação intensa da comunidade local.

Equipe de professores visitantes com a professora Jeane.

De fato, a equipe de professores da Escola Gama Rosa que foi conhecer a experiência da Visconde de Taunay maravilhou-se ao entender como processos de ensino participativos podem contribuir para a formação plena dos educandos. Segundo Jeane “a permacultura permite ir muito além da educação ambiental. Com ela é possível formarmos cidadãos éticos e críticos através do empoderamento coletivo.” Afirma ainda “as crianças estão agora mais empáticas, altruístas, críticas e, com certeza, mais empoderadas.”

A equipe de professores da Escola Gama Rosa trabalhará agora a sensibilização dos demais colegas para seguir desenvolvendo o projeto “Permacultura na escola” em São Pedro de Alcântara/SC.

Tags: EcoformaçãoEnsino de permaculturaPermacultura na escola

Fundamentos de ecologia é tema de encontro em São Pedro de Alcântara

01/05/2019 16:59

Professor Arno e os docentes da escola Gama Rosa.

O projeto Permacultura na Escola realizou nesta semana o terceiro encontro da formação básica em permacultura com os docentes da escola Gama Rosa em São Pedro de Alcântara – SC. O professor Arno Blankensteyn compartilhou conhecimentos sobre ecologia, um dos pilares da permacultura.

A formação básica em permacultura é uma das etapas previstas no projeto que se iniciou em janeiro e segue em curso para promover a educação ambiental nos ensinos fundamental e médio da Escola. Após a formação dos docentes, terão início as atividades de intervenção segundo o planejamento em permacultura, que será o tema de projeto final dessa primeira etapa. Nas etapas posteriores, agentes da comunidade poderão participar, buscando auxiliar nas ações de implantação e manejo das técnicas da permacultura.

Tags: ExtensãoPermacultura na escola

Professores de Joinville recebem a permacultura

25/05/2017 13:29

Palestra no campus da UFSC em Joinville.

No dia 18 de maio, a palestra “O que é permacultura?” foi apresentada para um grupo de professores da rede municipal, estadual e particular do ensino fundamental e médio da região de Joinville.

A atividade foi uma solicitação da professora Andréa Pfützenreuter e também, uma  iniciativa vinculada ao Curso de Especialização em Ciência e Tecnologia do Departamento das Engenharias da Mobilidade. Segundo Andréa “quando soubermos o real sentido do cuidar, promoveremos uma educação de consciência com o uso eficiente da tecnologia”. Dentro desse contexto, a permacultura possibilita um melhor entendimento sobre o nosso papel enquanto espécie para estabelecer relações harmoniosas com o ambiente que nos abriga, utilizando tecnologias sociais e de baixo impacto.

Após a palestra, os professores debateram sobre a importância de se ter a permacultura como via para ensinar educação ambiental nos currículos das escolas, pois ela possibilita com que o tema, por se tratar de uma linha de pensamento transversal aos demais ensinamentos, possa ser incorporado à vida dos educandos.

Tags: Permacultura na escola

Permacultura na Escola Maria Conceição Nunes em Florianópolis/SC

16/06/2013 00:56

Preparação de mudas para a Zona 1.

O Projeto de Permacultura desenvolvido na Escola Maria C. Nunes, situada no bairro Rio Vermelho, conta com a orientação de Arthur Nanni e execução da permacultora Petra Viebrantz, bolsista do projeto e certificada pelo PDC da primeira turma da disciplina de Introdução à Permacultura. A primeira etapa do projeto baseia-se em observações espaciais da área total da escola, levando em consideração aspectos como: posição do sol, incidência de ventos, qualidade do solo e disposição do terreno (inclinação). Estas observações são necessárias para se estabelecer os setores e posteriormente as zonas de planejamento. Foram consideradas também as variações climáticas e espaciais em relação às estações do ano. Posteriormente, buscou-se analisar que tipos de materiais físicos estavam à disposição no local para que pudessem ser aproveitados. A próxima etapa consistiu na criação de um croqui do pátio da escola, com intuito de visualizar e definir as diferentes Zonas e Setores na escola, podendo assim trazer elementos pertinentes a cada zona, tais como o refeitório (Zona 0), que gera resíduos que são aproveitados para formação de canteiros (Zona 1 ao lado ao refeitório), que por sua vez é constituída de uma horta circular com boa diversidade de hortaliças, plantas bioativas, entre outros, além da vermicompostagem. Na Zona 2 estão sendo implantadas árvores frutíferas e canteiros com espécies trepadeiras e flores.

Transplante de mudas.

O andamento do projeto está atualmente na etapa de coleta diária e disposição dos resíduos orgânicos para a compostagem, manutenção do solo das mudas de árvores frutíferas e criação da horta circular (mandala). O desenvolvimento das atividades na Escola é desenvolvido com a participação dos alunos, atualmente turmas de 6º e 7º ano, baseado nos princípios da Permacultura e numa pedagogia de amor e respeito pela natureza e pelo próximo. Além disso, conta com a participação e orientação da Professora Cátia e dos voluntários Marcos e Ícaro (Cepagro). Paralelamente, Douglas Flores, representante da comunidade da Escola, segue cursando a disciplina Introdução à Permacultura na UFSC na busca de manter a continuidade de transmissão dos conhecimentos aos professores.

Texto: Petra Viebrantz

Tags: Permacultura na escola