NEPerma presente na IPC14

26/11/2022 18:07

Apresentação dos resultados sobre a construção da permacultura na academia brasileira.

A Convergência Internacional de Permacultura é um evento híbrido, realizado bianualmente, que inclui conferências e a convergência entre povos que praticam permaculturas.

O IPC14 contou com a presença massiva de permacultores representantes dos povos de Abya Yala, como os Guarani e “hermanos” de países como Argentina, Brasil, Chile, Equador, Colômbia, Venezuela, Paraguai e Uruguai. Em menor número, participantes dos EUA e Europa.

O evento foi uma boa oportunidade para conhecer outras iniciativas globais promovidas pelo movimento internacional, incluindo a representatividade dos povos de Abya Yala no cenário das permaculturas que aqui são desenvolvidas.

Arthur Nanni, representante do NEPerma/UFSC, apresentou a palestra “Construindo a permacultura na academia brasileira”, que abordou o caminhar do NEPerma/UFSC e da Rede NEPerma Brasil e todas as ações desenvolvidas em prol da popularização da permacultura em território nacional e para países falantes do português.

Arthur, Antonio, Anna e Alessandro. Permacultores que atuam para a inserção da permacultura em meio acadêmico.

Outro tema importante debatido envolve a criação de caminhos para a inserção da permacultura em meio acadêmico com outros parceiros que estão na mesma luta, como os colegas Anna Bartoli e Alessandro Villella, ambos da Accademia Italiana de Permacultura e Antonio Morreti, professor da Universidad Tecnológica Nacional – Facultad Regional Delta na Argentina.

A permacultura já conta com um curso de licenciatura no México e está presente em programas de pós-graduação, tal como a Especialização em permacultura, ofertada na UFSC. Os debates acerca da pauta focaram no desenvolvimento de um currículo mínimo unificado para os países de Abya Yala, buscando também, a representatividade de nossas ações no cenário acadêmico global.

 

 

Tags: Abya YalaIPCPermacultura na academiaPermaculture in academiaPermaculture popularization

Rede NEPerma Brasil lança 2ª edição de “Ensinando permacultura”

11/11/2022 20:40

Versão e-book da 2ª edição.

A Rede NEPerma Brasil lançou da 2ª edição do livro Ensinando Permacultura. Uma obra que visa orientar educadores para a formação básica em permacultura e traz inúmeras atualizações e novos capítulos em formato e-book.

O ensino de permacultura é mais que apenas um aprendizado de técnicas, pois compreende uma formação plena, que possibilita enxergar o mundo com uma visão sistêmica, que auxilia na tomada de decisões, encoraja e empodera.

A permacultura vem se consolidando como uma ciência holística de cunho socioambiental, cada vez mais requisitada por docentes e acadêmicos das mais diversas áreas do conhecimento. Aparece também como uma importante “ferramenta” de auxílio na educação ambiental crítica de estudantes do ensino fundamental, médio e técnico. Além disso, está cada vez mais presente em órgãos de gestão pública e segue em franco desenvolvimento em ações promovidas por institutos, estações e sítios de prática da permacultura.

Essa obra não é uma iniciativa isolada, ela acompanha uma série de ações que os Núcleos de Estudos em Permacultura, espalhados pelas instituições federais de ensino superior brasileiras, vêm desenvolvendo para consolidar a permacultura em meio acadêmico, como a criação de iniciativas de ensino, pesquisas e projetos de extensão, envolvendo a formação de agricultores e docentes dos mais diversos níveis de ensino.

Plataforma de saberes

Desde sua primeira edição lançada em 2019 pelo NEPerma/UFSC, o livro Ensinando permacultura passou a integrar também uma plataforma digital de troca de saberes, onde o leitor encontrará versões com atualização dinâmica de conteúdos que comporão futuras edições de livros, bem como edições já publicadas com conteúdo estático. Essa segunda edição traz, além dos conteúdos sobre o ensino da permacultura nos moldes do curso de planejamento em permacultura (CPP), também uma nova seção que aborda duas experiências em permacultura na educação básica.

A Rede NEPerma Brasil e o NEPerma/UFSC esperam que esta obra possa ser útil a todos/as instrutores/as permacultores/as, atuantes em universidades, escolas técnicas, escolas de ensino básico, institutos e estações de permacultura, que buscam, da mesma forma que nós, propagar e popularizar os conhecimentos da permacultura em sua zona de alcance social e além.

Acesse aqui a 2ª edição em PDF ou a plataforma de troca de saberes Ensinando permacultura e navegue por capítulos, imprima sob demanda e interaja com a construção dessa ferramenta de ensino.

Revista PERMA abre chamada para publicação de conteúdos

03/11/2022 18:52

Colegas que atuam em permacultura e em pesquisas sobre permacultura, a Rede NEPerma Brasil, com grande alegria, vem convidá-los para a submissão de trabalhos e conteúdo multimídia destinados a compor a primeira edição da Revista PERMA.

Dentre os objetivos desta iniciativa, está a intenção de preencher a lacuna da existência de um periódico específico sobre permacultura; propiciar espaço de debate, divulgação, consolidação e desenvolvimento dos conhecimentos produzidos na temática e incentivar a produção e difusão de novos conhecimentos aplicados ao ensino, pesquisa, extensão e popularização da Permacultura.

A submissão acontecerá em processo de fluxo contínuo. E o limite de recepção trabalhos para a *Chamada de Lançamento será até dia 15 de dezembro de 2022.

Você pode se cadastrar como autor(a), leitor(a) e/ou revisor(a). Faça parte desse movimento!

Veja mais detalhes no site da PERMA

Tags: PERMARevista de permacultura

Permacultura Brasileira visita experiências na região sudeste

12/09/2022 19:02

Geraldo Dutra, parceiro de longa data revelando as permaculturas da região do Caparaó capixaba.

O projeto de pesquisa Permacultura Brasileira iniciou as visitas às experiências permaculturais pela região Sudeste. Um total de sete locais de prática de permacultura foram conhecidos.

Rivelino, agricultor de Alegre/ES e plantador de água.

No estado do Espírito Santo os pesquisadores conheceram o projeto plantadores de água, na região do Caparaó Capixaba. Geraldo Dutra, articulador e educador ambiental, hospedou e acompanhou nossa equipe na visita a locais como o Sítio Jaqueira e a unidade rural do agricultor Rivelino, ambas desenvolvedoras de técnicas como as caixas cheias e secas que permitem manter as águas na paisagem por mais tempo, gerando assim mais riqueza hídrica às unidades rurais e permitindo mais autonomia na produção de alimentos agroecológicos.

Família Canova em Alegre-ES.

Ainda na cidade de Alegre/ES, a equipe teve a oportunidade de visitar a unidade rural da família Canova, que hoje conta com o agricultor Santos, sua mãe Nelci e a irmã Rogéria, que seguem mantendo vivos os conhecimentos de seu pai, Waldecy Canova, numa área de 6ha com alto grau de autonomia alimentar, tida como referência em permacultura no Brasil.

O agricultor Waldeci Canova deixou um legado de sabedoria no desenvolvimento de sistemas agroflorestais estratificados com alta produtividade e alto grau de resiliência.

Ecovila Jurema em Baependi/MG.

No estado de Minas Gerais a colega Adriana Galbiati, referência nacional na temática do manejo ecológico das águas, hospedou e acompanhou nossa equipe em Baependi em visita a uma família neorrural que lá reside há seis anos e em outras duas ecovilas que estão em fase de implementação. Projetos coletivos que mostram o movimento neorrural acontecendo com força na região.

No roteiro de visitas, conhecemos ainda outra família neorrural em Ibiúna/SP com o desenvolvimento da agricultura natural em uma área de 2ha.

Diferentes contextos e técnicas estão sendo levantadas, entendidas e descritas no projeto Permacultura brasileira, que segue em desenvolvimento, para trazer informações de uma permacultura mais “brasuca” a todos/as que a praticam em seu dia a dia.

Se interessou? Gostaria de participar ou sabe de alguém, ou alguma experiência exitosa em permacultura? Inscreva-se aqui. Esperamos em breve contatar para conhecer essa experiência.

Somos gratos aos parceiros que têm nos acolhido e tornando viável a realização dessa pesquisa. Os custos desse projeto estão sendo bancados com recursos próprios dos pesquisadores. Se você deseja fomentar de alguma uma forma a continuidade desse projeto, entre em contato conosco.

Tags: Permacultura brasileira

Educação do campo – vestibular 2022

21/12/2021 14:09

Em 2022 serão ofertadas 50 vagas e as inscrições estão abertas a pessoas que concluíram o Ensino Médio, preferencialmente oriundas de municípios e/ou comunidades rurais; participantes de organizações sociais e sindicais do campo; lideranças comunitárias; professores/as e a todas que desejem formação em Educação do Campo na área de Ciências da Natureza e Matemática. O processo
seletivo será por análise de histórico escolar do ensino médio e é específico e 
exclusivo para ingresso no Curso de Licenciatura em Educação do Campo.

Atenção para os prazos e informações do edital!

  • Inscrição gratuita e realizada via internet: de 04 a 20/01/2022
  • Link da inscrição:
  • Pré-requisito: ter concluído o ensino médio.
  • Será necessário preencher um Requerimento de Inscrição, com informações obtidas no Histórico Escolar do Ensino Médio.
  • Fique atento para preencher o requerimento corretamente e enviar todos os documentos solicitados no edital.
Após as inscrições é preciso seguir acompanhando o processo:
  • 25 de janeiro de 2022: resultado preliminar para verificação e correção dos documentos.
  • 27 de janeiro de 2022: prazo para correção e envio de documentos faltantes.
  • 8 de fevereiro de 2022: publicação  do  resultado  de  confirmação  de  inscrição  definitiva.
  • 9 de fevereiro de 2022: recurso.
  • 10 de março de 2022A partir deste dia fique atento ao período de matrícula no site https://dae.ufsc.br/.
O candidato que não efetuar a matrícula no prazo perderá o direito à vaga.

UFSC e EPAGRI lançam nota técnica sobre resíduos sólidos rurais

11/12/2020 12:51

Zonas energéticas para resíduos sólidos rurais.Parceria entre permacultores do Núcleo de Estudos em Permacultura / UFSC (NEPerma/UFSC) e da Empresa de Pesquisa Agropecuária e Extensão Rural de Santa Catarina (EPAGRI/SC) a nota técnica Resíduos Sólidos Rurais aborda a necessidade de mudarmos a tradicional abordagem centralizada de gestão dos resíduos sólidos, para um novo paradigma, onde a proatividade através da participação cidadã, esteja presente e seja pensada a partir da escala de percepção do indivíduo, da sua unidade rural ou mesmo, da comunidade que o abriga, permitindo que o mesmo possa entender como se dá o processo de gerenciamento, bem como, possa estabelecer estratégias de resoluções efetivas para a gestão.

Escrito com termos de fácil compreensão, a nota traz em seu conteúdo um novo entendimento sobre os resíduos sólidos, onde é necessário pensarmos em transformar, encaminhar, recusar, repensar, reciclar e aproveitar resíduos como recursos. O documento conta com uma série de links e imagens que facilitam a compreensão da proposta de gestão descentralizada e de escala local/comunitária.

Transformar, encaminhar, recusar/repensar, reciclar e aproveitar. Novas possibilidades de entendimento sobre resíduos sólidos rurais.

Estruturada de forma sistêmica, a nota foi pensada para ser aplicada a qualquer unidade rural familiar, seja ela convencional, orgânica, agroecológica ou permacultural. Para tal, os pesquisadores apresentam a aplicabilidade da lógica de planejamento da permacultura, onde problemas podem e devem evitados, ou mesmo, serem reconhecidos como oportunidades.

Um mapeamento detalhado sobre os resíduos comumente presentes na unidade rural resultou em um mapa conceitual que abrange: contaminantes, insumos, metais, mistos, orgânicos e papel, plásticos, tecidos e vidros. Para essa gama de materiais são propostas, onde possível, alternativas de substituição, transformação e/ou aproveitamento.

Confira aqui a nota técnica na íntegra.

Tags: Permacultura em prosa

Editora da UFSC lança o livro “Ensinando Permacultura”

19/03/2020 10:55

O NEPerma, em parceria com o Programa de Pós-Graduação em Arquitetura e Urbanismo e a Editora da UFSC, lança o livro Ensinando Permacultura.

A obra é uma síntese da experiência do NEPerma no ensino de permacultura. Lançado nas versões impressa e em e-book, Ensinando Permacultura busca orientar educadores para a formação básica em permacultura.

Ensinando Permacultura vem atender uma demanda crescente de pedidos a respeito de como ensinar permacultura. O livro é um esforço da equipe de instrutores professores, técnicos e educandos que se propõe a estimular o ensino da temática em diferentes níveis de ensino, sendo mais indicado à formação superior. A publicação traz um roteiro de apresentação dos conteúdos básicos para a formação em permacultura, fundamentados na proposta de Bill Mollison e adaptados à realidade das universidades brasileiras. Seus 16 capítulos apontam como abordar cada temática e fazer as interações necessárias para estabelecer um ensino sistêmico, em que os educandos são convidados a serem protagonistas do próprio aprendizado.

A versão impressa está sendo enviada às instituições de ensino que solicitaram exemplares durante a campanha de pedidos. Além delas, apoiadores que fomentaram a obra e seu envio, também receberão exemplares. A versão e-book está acessível através do Site da Editora da UFSC e também na página inicial do NEPerma.

Os autores esperam que esta obra possa ser útil a todos/as os/as instrutores/as permacultores/as, atuantes em universidades, escolas técnicas, escolas de ensino básico, institutos e estações de permacultura, que buscam, da mesma forma que nós, propagar e popularizar os conhecimentos da permacultura em sua zona de alcance social e além.

Você tem interesse em traduzir a obra para outras línguas? Entre em contato conosco pelo e-mail .

Texto: Arthur Nanni

Revisão: Soraya Nór, Cristiane Corrêa e Júlia Restrepo

Tags: CPPCurso de planejamento em permaculturaEnsino de permaculturaLivroPDC

Concluído o 2º CPP para academia

21/02/2020 14:40

Donizete e os colegas na prática com o pé-de-galinha.

O NEPerma/UFSC em parceria com o Departamento de Arquitetura e Urbanismo da Universidade Federal de Viçosa (UFV), concluiu na última semana, a segunda edição do curso de planejamento em permacultura (CPP). A primeira edição desse curso ocorreu em Florianópolis em 2017 e formou 14 permacultores/as.

Organizado pelos professores Arthur Nanni (UFSC) e Josarlete Soares (UFV), o curso teve duração de 72horas e contou com 4 instrutores, incluindo os permacultores Roberto Goulart (UFV), Luiza Valente (UFF) e Jefferson Mota (Sítio Igatu). Nessa edição o curso formou mais 19 permacultores entre servidores professores, técnicos e alunos de pós-graduação.

Roberto Goulart e a aula de Arquitetura e Permacultura no DAU/UFV.

Focado no público acadêmico, o CPP apresentado é uma formação básica em permacultura onde são também transmitidos métodos pedagógicos de ensino de permacultura voltados ao ensino superior, buscando estimular professores e técnicos, a estabelecerem ações de ensino e extensão na temática da permacultura.

Dentre os resultados do CPP, podemos destacar a agregação desses novos colegas à Rede NEPerma Brasil, que congrega núcleos e ações em permacultura vinculadas à instituições de ensino superior pelo país. Além disso, a Rede elencou foco em algumas frentes de popularização da permacultura, como disciplinas aplicadas a cursos de graduação e pós-graduação já existentes, apontou a criação de projetos com parceria entre diferentes instituições, a criação de novos núcleos e a confecção de mais materiais de ensino da permacultura, nos mais diversos níveis de aprendizado.

Concluintes da 2ª edição do CPP para academia no dia de campo junto ao ISAViçosa.

Uma nova edição do CPP está prevista para 2022 e será organizado pela Universidade Federal Fluminense. Já se encontra aberto o formulário de intenção de participação.

Texto: Arthur Nanni

Revisão: Luiza Valente, Josarlete Soares

Tags: CPPCPP para academiaPDCPermacultura na academia

NEPerma testa nova ferramenta didática voltada ao ensino de SAFAS

20/02/2020 15:54

Apresentação da ferramenta em Viçosa/MG.

Sistemas agroflorestais agroecológicos (SAFAS) são regularmente abordados na temática de ecologia cultivada, presente nos cursos de planejamento em permacultura (CPP) ofertados pelo NEPerma. Os SAFAS proporcionam uma sucessão vegetal manejada e com grande número de espécies alimentícias, medicinais, lenhosas e adubadeiras.

Recentemente, o agrônomo e permacultor Jefferson Mota apresentou uma nova metodologia de ensino sobre SAFAS no CPP realizado em Viçosa/MG, voltado para o público acadêmico, incluindo servidores professores, técnicos e alunos de pós-graduação.

A nova metodologia envolve o aprendizado lúdico que permite uma melhor compreensão dessa dinâmica de desenvolvimento e manejo dos SAFAS, através de métodos de ensino que vão além da projeção de fotos, vídeos, aula teórica e discussão. Com base nisso, o permacultor desenvolveu um sistema didático para montagem da Agrofloresta em sala de aula, apresentando pela primeira vez no Brasil o modelo em 3D. O material inicialmente foi desenvolvido para um curso de SAFAS aplicados à permacultura, ocorrido no Uruguai em agosto de 2019.

Aplicação no curso ministrado no Uruguai.

O modelo em 3D conta com aproximadamente 40 espécies dos diferentes estratos (andares) vegetais: rasteiro, baixo, médio, alto e emergente. As peças são confeccionadas com  materiais naturais, tais como sementes, madeira e, também, materiais sintéticos, como papel, porcelana fria (biscuit) e ímãs.

A nova ferramenta está em teste e em espera-se que em breve esteja disponível para consulta e aplicação por educadores e interessados na temática.

Texto: Jefferson Mota

Revisão: Arthur Nanni

Tags: EnsinoPermacultura na escola

Permacultura na escola certifica a primeira turma

24/11/2019 23:59

Docentes da Escola Gama Rosa que concluíram a formação técnica. Na foto: Caio, Arthur, Bruna Clezar, Armando Rodrigues, Luíza Passos e Letícia Hoffmann. Ainda concluiu o curso, a professora Patrícia Meira.

Na última sexta, dia 22, ocorreu a certificação do grupo de docentes da Escola de Ensino Básico Gama Rosa, resultado da conclusão do Curso de Planejamento em Permacultura (PDC).

O curso é um componente de extensão universitária do projeto Permacultura na Escola, que busca capacitar docentes de educação básica para o planejamento espacial e organizacional do ambiente de escolar. Cerne da fase inicial do projeto e etapa crucial, o curso permitirá a ação direta de docentes na rotina escolar, tanto no aprimoramento do ensino da educação ambiental de forma crítica, quanto auxiliar no desenvolvimento de conteúdos de outras disciplinas, por se tratar de uma temática, trans-multi-interdisciplinar.

Iniciada em fevereiro de 2019, a formação teve a adesão inicial de 17 docentes, porém finalizou com apenas cinco. Dentre as desistências estão razões como final de contratos de professores substitutos, desconhecimento da temática, não engajamento ou mesmo, percalços burocráticos criados em virtude da longa carga horária apresentada.

A conclusão do curso, além de incluir a formação básica em permacultura – o tradicional PDC – considerou também a realização de atividades complementares, como a análise de aplicação da permacultura em disciplinas específicas e a transmissão da mesma para educandos portadores de necessidades especiais. Assim, os participantes puderam exercitar o potencial de uso da permacultura como “ferramenta” pedagógica. Dentre os resultados, ações como oficinas de pintura com geotintas, criação de vídeos didáticos e aprofundamento em temas como “Energia” nas aulas de física, foram destaque no processo formativo dos docentes.

Planejamento por setores na Escola de Ensino Básico Gama Rosa.

O projeto final da formação, uma etapa obrigatória, envolveu o planejamento do ambiente escolar com base na lógica da permacultura, que se utiliza de uma visão sistêmica e integradora visando otimizar recursos e energias nos processos rotineiros da escola, na busca de uma vida mais sustentável e harmoniosa com o planeta. O processo de planejar um novo ambiente de ensino teve como base referência o livro Criando Habitats na Escola Sustentável (Legan, 2009), obra  que “dá aos educadores as ferramentas necessárias para criar um vasto currículo em meio ambiente cativando estudantes em atividades divertidas e práticas na sala de aula ao ar livre” (Imprensa Oficial de SP).

O projeto Permacultura na Escola tem como objetivo melhor compreender o potencial de aplicação da permacultura no ensino de educação ambiental para os níveis fundamental e médio. Paralelamente, o projeto busca entender a partir da pesquisa-ação, como a permacultura pode ser inserida nos projetos pedagógicos escolares da educação básica.

Referência

LEGAN, L. Criando habitats na escola sustentável: livro de Educador / Lucia Legan. – Imprensa Oficial do Estado de São Paulo, Pirenópolis, GO : Ecocentro IPEC, 2009. 96p. : il.

Tags: EcoformaçãoEducação ambientalEnsino de permaculturaExtensãoPermacultura na escola