Permacultura | Permaculture
  • 20ª turma é certificada em 2019/2

    Publicado em 21/12/2019 às 22:03

    Permaculturandos em visita técnica no Sítio Silva em Anitápolis. A propriedade conta com o planejamento do permacultor Jorge Silva, referência em Santa Catarina.

    Nesse segundo semestre de 2019 o NEPerma concluiu a formação de sua 20ª turma de PDC. Alunos de diferentes cursos de graduação da UFSC e pessoas da comunidade puderam compartilhar suas experiências e aprender com outros, ao longo da formação básica em permacultura.

    Sob a tutela do Prof. Arno Blankensteyn (âncora do semestre) e da estagiária de docência e doutoranda Juceli Silva, a disciplina contou com a colaboração de 11 instrutores, incluindo professores, servidores técnicos, ex-alunos, agricultores e praticantes da permacultura.

    Somando mais 21 concluintes, com essa turma o NEPerma já certificou mais de 290 pessoas para desenvolver ações, projetos e iniciativas utilizando a lógica e a filosofia de planejamento da permacultura.

    O projeto final de planejamento do semestre ocorreu em Imbituba, na propriedade rural de Alexandre Pereira, entusiasta da permacultura, que agora conta com quatro diferentes projetos de design para estabelecer rumos de gestão da propriedade.

    Turma em atividade de campo em Imbituba.

    O NEPerma está em processo de migração para o Departamento de Educação do Campo e, por esse motivo, não ofertará a disciplina “Introdução à permacultura” pelo código GCN7938 em 2020/1. No semestre que se iniciará, uma edição de teste ocorrerá no planalto catarinense apenas para alunos do curso de Licenciatura em Educação do Campo. Após esse período, a intenção do NEPerma é reestabelecer uma nova disciplina, com programa revisado e atualizado.

     


  • Permacultura na escola certifica a primeira turma

    Publicado em 24/11/2019 às 23:59

    Docentes da Escola Gama Rosa que concluíram a formação técnica. Na foto: Caio, Arthur, Bruna Clezar, Armando Rodrigues, Luíza Passos e Letícia Hoffmann. Ainda concluiu o curso, a professora Patrícia Meira.

    Na última sexta, dia 22, ocorreu a certificação do grupo de docentes da Escola de Ensino Básico Gama Rosa, resultado da conclusão do Curso de Planejamento em Permacultura (PDC).

    O curso é um componente de extensão universitária do projeto Permacultura na Escola, que busca capacitar docentes de educação básica para o planejamento espacial e organizacional do ambiente de escolar. Cerne da fase inicial do projeto e etapa crucial, o curso permitirá a ação direta de docentes na rotina escolar, tanto no aprimoramento do ensino da educação ambiental de forma crítica, quanto auxiliar no desenvolvimento de conteúdos de outras disciplinas, por se tratar de uma temática, trans-multi-interdisciplinar.

    Iniciada em fevereiro de 2019, a formação teve a adesão inicial de 17 docentes, porém finalizou com apenas cinco. Dentre as desistências estão razões como final de contratos de professores substitutos, desconhecimento da temática, não engajamento ou mesmo, percalços burocráticos criados em virtude da longa carga horária apresentada.

    A conclusão do curso, além de incluir a formação básica em permacultura – o tradicional PDC – considerou também a realização de atividades complementares, como a análise de aplicação da permacultura em disciplinas específicas e a transmissão da mesma para educandos portadores de necessidades especiais. Assim, os participantes puderam exercitar o potencial de uso da permacultura como “ferramenta” pedagógica. Dentre os resultados, ações como oficinas de pintura com geotintas, criação de vídeos didáticos e aprofundamento em temas como “Energia” nas aulas de física, foram destaque no processo formativo dos docentes.

    Planejamento por setores na Escola de Ensino Básico Gama Rosa.

    O projeto final da formação, uma etapa obrigatória, envolveu o planejamento do ambiente escolar com base na lógica da permacultura, que se utiliza de uma visão sistêmica e integradora visando otimizar recursos e energias nos processos rotineiros da escola, na busca de uma vida mais sustentável e harmoniosa com o planeta. O processo de planejar um novo ambiente de ensino teve como base referência o livro Criando Habitats na Escola Sustentável (Legan, 2009), obra  que “dá aos educadores as ferramentas necessárias para criar um vasto currículo em meio ambiente cativando estudantes em atividades divertidas e práticas na sala de aula ao ar livre” (Imprensa Oficial de SP).

    O projeto Permacultura na Escola tem como objetivo melhor compreender o potencial de aplicação da permacultura no ensino de educação ambiental para os níveis fundamental e médio. Paralelamente, o projeto busca entender a partir da pesquisa-ação, como a permacultura pode ser inserida nos projetos pedagógicos escolares da educação básica.

    Referência

    LEGAN, L. Criando habitats na escola sustentável: livro de Educador / Lucia Legan. – Imprensa Oficial do Estado de São Paulo, Pirenópolis, GO : Ecocentro IPEC, 2009. 96p. : il.


  • Concurso vestibular para Educação do Campo 2020

    Publicado em 01/11/2019 às 18:22

    Seguem abertas as inscrições até 18 de novembro de 2019 para o concurso vestibular para Licenciatura em Educação do Campo 2020 – ciências da natureza e matemática. Um total de 50 vagas estão abertas no processo seletivo.

    O curso, ofertado na modalidade presencial, tem duração de 4 anos e habilita o licenciado à lecionar aulas de ciências e matemática no Ensino Fundamental (anos finais) e aulas de biologia, química, física e matemática para o Ensino Médio.

    As aulas iniciarão em março de 2020 e serão organizadas em regime de alternância, com aulas em período integral durante o Tempo-Universidade na UFSC em Florianópolis (uma semana por mês) e demais atividades durante o Tempo-Comunidade nos municípios de Paulo Lopes, São Pedro de Alcântara, Porto Belo e na Escola 25 de Maio, em Fraiburgo.

    Para concorrer a uma das vagas o candidato precisa ter concluído o Ensino Médio até a data de matrícula. As provas ocorrerão em Paulo Lopes, Águas Mornas e Tijucas no dia 26/01/2020 das 14h às 18h.

    Maiores informações podem ser obtidas pelo telefone (48) 3721-2250, pelo e-mail ou ainda pelo Facebook

    Acesse agora o Edital do processo seletivo.


  • Procura por especialização atrai interessados de diferentes estados

    Publicado em 01/11/2019 às 10:59

    Origem das inscrições para o curso de pós-graduação.

    Nas últimas duas semanas iniciou-se o processo seletivo com o período de inscrições para vagas do Curso de Especialização em Permacultura, ofertado pelo NEPerma em parceria com o Departamento de Educação do Campo do CED.

    Planejado para ocorrer na modalidade presencial, a expectativa inicial de atendimento regional com interessadas residentes na grande Florianópolis, seguido de outras localidades em Santa Catarina, foi confirmada. Num total de 154 inscritos para 30 vagas disponíveis, 78% são provenientes de SC. Também foram registradas inscrições de outros estados brasileiros e interesse por profissionais de países latinoamericanos como Chile e Colômbia. Do total, 2/3 são mulheres e um bom número já possui algum tipo de pós-graduação.

    O grupo de professores envolvidos no desenvolvimento dessa iniciativa na UFSC acredita que a demanda por formações em permacultura, tanto em nível de pós-graduação, quanto graduação se deve ao fato dos interessados buscarem novas áreas de atuação profissional com propostas realmente sustentáveis.

    Perfil de alguns candidatos a vaga na especialização.

    O curso de Especialização em Permacultura da UFSC é o quarto a ser ofertado em nível nacional, visto que outras iniciativas já ocorreram em universidades como a UECE, UFCA e PUC-Campinas.


  • Especialização em permacultura abre inscrições até 27/10/2019

    Publicado em 02/10/2019 às 15:34

    Agricultor e permacultor Jorge Silva, referência em Santa Catarina, recebendo uma das turmas de permacultura no Sítio Silva em Anitápolis.

    O Departamento de Educação do Campo em parceria com o Núcleo de Estudos em Permacultura oferecem o curso de especialização em permacultura, que traz à sociedade o atendimento de uma demanda de ensino em nível de aperfeiçoamento, constatada a partir do trabalho realizado pelo NEPerma/UFSC ao longo de sete anos de atuação no ensino de permacultura em nível superior.

    O curso busca atender prioritariamente públicos com atuação no meio rural, tais como agricultores familiares, os extrativistas, os pescadores artesanais, os ribeirinhos, os assentados e acampados da reforma agrária, os trabalhadores assalariados rurais, os quilombolas, os caiçaras, os povos da floresta, os caboclos e outros.

    A especialização busca qualificar profissionais de diferentes áreas do conhecimento para atuação na gestão de recursos naturais, com conhecimentos técnico-científicos e socioculturais, com base nas éticas e princípios da permacultura, que permitam absorver e desenvolver novas tecnologias e métodos apropriados à permanência da espécie humana no planeta.

    O curso contará com a participação de 14 instrutores de diferentes áreas do conhecimento, incluindo docentes, profissionais autônomos e agricultores familiares. Com essa equipe em atuação o participante terá acesso a uma visão plural da permacultura e sua aplicação em diferentes ambientes de planejamento.

    Oferecido na modalidade presencial, o curso possui carga horária de 360h com início das atividades de ensino previsto para março de 2020. Um total de 12 encontros semanais (alguns quinzenais), incluindo atividades práticas de campo, estão programadas para acontecer até agosto de 2021. Além da carga de disciplinas, o participante terá de desenvolver um projeto de planejamento em permacultura sob a orientação dos docentes, documentá-lo e apresentá-lo para obtenção do título de especialista.

    Saiba mais sobre essa iniciativa e acesse o edital de inscrição…


  • Experiências do NEPerma e HOCCA são apresentadas no Uruguai

    Publicado em 18/09/2019 às 23:11

    Jefferson Mota na Universidade Tecnológica de Durazno.

    Em agosto, Jefferson Mota, permacultor, agrônomo e pesquisador do NEPerma/UFSC, esteve na I Jornada de Agroecologia e Agricultura Orgânica da Universidade Tecnológica do Uruguai (UTEC) na cidade de Durazno, para ministrar aulas e promover práticas de planejamento em permacultura com os acadêmicos do curso de Engenharia Agroambiental.

    Na ocasião, o pesquisador apresentou noções básicas de Permacultura, suas éticas e princípios de planejamento. Um retrospecto do NEPerma/UFSC foi apresentado, bem como a exitosa experiência do Horta Orgânica do Centro de Ciências Agrárias (HOCCA/UFSC).

    Um minicurso sobre Sistemas Agroflorestais para uma cultura permanente, foi realizado com cerca de 30 participantes de diferentes perfis, incluindo acadêmicos, docentes, agricultores, profissionais da saúde e comunidade em geral. Uma área de cultivo foi implantada na parte central do campus da Universidade, permitindo grande visibilidade ao processo.

    Texto: Jefferson Mota

    Revisão: Arthur nanni


  • Curso de Planejamento em Permacultura para docentes

    Publicado em 01/08/2019 às 07:00

    Atividade de campo no Sítio Igatu, desenvolvida no primeiro PDC para academia em 2017.

    A Rede NEPerma Brasil ofertará um Curso de Planejamento em Permacultura em fevereiro de 2020 na Universidade federal de Viçosa – MG, voltado para docentes e servidores técnicos de apoio ao ensino de Instituições Federais de Ensino Superior (IFES). Esse curso tem a mesma carga horária do Permaculture Design Course (PDC), que é reconhecido internacionalmente e compartilhado há 6 anos pelo NEPerma/UFSC em nível de graduação na UFSC através da disciplina Introdução à permacultura.

    O curso conta com certificação e seu objetivo é fortalecer e popularizar a permacultura dentro do ambiente acadêmico, buscando integrar universidades e institutos federais através da criação de parcerias. Se você deseja participar do curso, as inscrições estão abertas através do formulário e o preenchimento das 20 vagas previstas será por ordem de preenchimento, priorizando-se as IFES e depois demais instituições de ensino comunitárias e privadas.

    Seguindo a ética da permacultura “Compartilhe os excedentes”, professores vinculados a instituições comunitárias e/ou privadas de ensino superior poderão se inscrever, ficando a efetivação da inscrição na dependência da confirmação da oferta do curso e claro, da disponibilidade de vagas.

    Assista aqui depoimentos com a opinião de professores, alunos e técnicos, sobre a permacultura na academia, após participarem da primeira edição do curso em 2017.

    Não sabe bem o que é permacultura? Veja aqui um vídeo curto e leia mais sobre essa ciência socioambiental.


  • Introdução à permacultura 2019/2

    Publicado em 08/07/2019 às 07:40

    Aula prática no Sítio Igatu.

    Em 2019/2 vai acontecer mais uma edição da disciplina Introdução à permacultura, que possui o mesmo currículo e carga horária de um Curso de Planejamento Permacultural (Permaculture Design Course – PDC). No próximo semestre, o PDC contará com 11 instrutores entre permacultores professores, técnicos, praticantes e agricultores convidados.

    Nesse período de matrículas procure pelo código GCN7938 – Introdução à permacultura e efetive sua matrícula, mesmo que o sistema acuse “sem vagas”. As aulas que constituem o PDC de 80 horas ocorrerão nas tardes das terças e estão previstas 2 atividades de campo.

    Estudantes que não conseguirem vaga, mas efetuaram a matrícula no CAGR, deverão participar dos 2 primeiros encontros para tentar ocupar uma das 6 vagas adicionais que serão definidas ao final do segundo encontro (2ª semana). Para pessoas externas à UFSC, o procedimento é o mesmo e, se sobrarem vagas, haverá sorteio para ingresso de participantes sem o vínculo institucional.

    Todo o conteúdo da disciplina estará disponível para livre acesso até dezembro de 2019.

    Gostou dessa iniciativa? Gostaria de ver mais permacultura em universidades? Assine nosso abaixo-assinado para criação de cursos de graduação em permacultura.


  • NEPerma certifica sua 19ª turma

    Publicado em 04/07/2019 às 15:27

    Concluída mais uma etapa de formação permacultores, que foram certificados pela UFSC. Alunos de diferentes cursos de graduação da universidade puderam compartilhar suas experiências e aprender com outros ao longo desse primeiro semestre de 2019.

    Turma de 2019/1 – Arthur, Cláudia, João, Eloisa, Lucas, Sabrina, Anderson, Jade, Rafael, Adilson, Fernando, Cecília, Márcio, Alexandre, Janine, Mayara, Mariana, Patrícia, Felícia e Jaíne. Marina fugiu da foto.

    A disciplina contou com a colaboração de 11 instrutores, incluindo professores, servidores técnicos, ex-alunos, agricultores e praticantes da permacultura. Essa dinâmica de ensino vem reforçando a linha de ensino aplicada pelo NEPerma/UFSC desce 2012, quando houve a oferta da primeira edição da disciplina.

    Com essa turma o NEPerma já certificou mais de 270 pessoas para desenvolver ações, projetos e iniciativas utilizando a lógica e a filosofia de planejamento da permacultura.

    O NEPerma prevê uma nova edição da disciplina para o segundo semestre de 2019. Atente para o período de matrículas e busque o código GCN7938 para vir também compartilhar do seu tempo conosco.

    Depoimentos

     

    Marina – estudante de geografia
    Gostei muito da disciplina, que muda a forma de ver as coisas. Um olhar mais crítico sobre muitos aspectos que antes passavam “quase” que despercebidos. Permacultura pra mim é repensar minhas atitudes, em como elas afetam a natureza e as pessoas principalmente.

    Adilson – estudante de ciências biológicas
    Antes da graduação sequer tinha ouvido sobre permacultura. De início desconfiei, afinal, quantas são as utópicas ideias “revolucionárias” que não passam de “achismos” ou disfarces para interesses ocultos. Ainda assim, deixei de lado pré-conceitos e resolvi entender melhor do que se tratava. Fato é, essa simples palavra, que carrega em si um oceano de ideias, princípios e éticas, pode transformar a maneira como se enxerga o mundo. Nesse momento, quase ao final do curso posso afirmar, a permacultura é uma ciência que se presta a mudar a percepção das pessoas sobre tudo ao redor e, através de métodos de planejamento e baseando-se em princípios éticos, moldar os ambientes terrestres para a formação de assentamentos humanos sustentáveis.

    Mariana – estudante de design

    A permacultura é um desafio para repensar velhos valores e premissas, analisar o lugar em que se o ocupa no mundo e a forma como se vive nele. Acho interessante que ela seja às vezes uma ferramenta, às vezes um possível movimento social, às vezes uma forma de se viver.


  • Extensão visita a Escola Visconde de Taunay em Blumenau

    Publicado em 14/06/2019 às 18:59

    A escola é uma explosão de criatividade em todos os cantos.

    “Olhei para a rua e vi um bolo de crianças. Era briga na certa. Ao aproximar me deparei com o inesperado, o grupo estava auxiliando uma jararaca a atravessar a rua”.

    Passagens como essa passaram a ser parte do cotidiano da escola Visconde de Taunay com o desenvolver do projeto Escola sustentável, conta a professora Jeane Pitz Pukall, coordenadora da ação que acabou se transformando em sua pesquisa de mestrado.

    Na última quinta, o projeto de extensão Permacultura na escola, desenvolvido pelo NEPerma em parceria com a Escola de Ensino Básico Gama Rosa de São Pedro de Alcântara, esteve em visita à Escola municipal Visconde Taunay, situada em Blumenau/SC. A proposta da iniciativa foi conhecer melhor o projeto Escola sustentável, desenvolvido desde 2011 com o intuito de ampliar a educação ambiental através de um modelo baseado nas éticas e princípios de planejamento da permacultura.

    O projeto foi reconhecido e premiado com destaque nacional e internacional. Segundo Jeane, seu êxito está alicerçado no empoderamento dos educandos ao longo do processo de implantação, manejo e gestão das ações desenvolvidas no ambiente escolar com a participação intensa da comunidade local.

    Equipe de professores visitantes com a professora Jeane.

    De fato, a equipe de professores da Escola Gama Rosa que foi conhecer a experiência da Visconde de Taunay maravilhou-se ao entender como processos de ensino participativos podem contribuir para a formação plena dos educandos. Segundo Jeane “a permacultura permite ir muito além da educação ambiental. Com ela é possível formarmos cidadãos éticos e críticos através do empoderamento coletivo.” Afirma ainda “as crianças estão agora mais empáticas, altruístas, críticas e, com certeza, mais empoderadas.”

    A equipe de professores da Escola Gama Rosa trabalhará agora a sensibilização dos demais colegas para seguir desenvolvendo o projeto “Permacultura na escola” em São Pedro de Alcântara/SC.